Almada

Sindicato denuncia casos de covid19 na Câmara de Almada, autarquia repudia ‘alarmismos’

- publicidade -

O Sindicato dos Trabalhadores do Concelho de Almada emitiu uma ‘informação sindical’ na qual dá conta que há um «foco de infeção de covid19 registado no estaleiro municipal do Alto do Índio, e que os trabalhadores estão apreensivos com colegas infectados».

No documento o Sindicato afirma ainda que tem «alguma relutância em concordar com os dados da Equipa de Coordenação COVID19 da Câmara Municipal de Almada, porque o número de funcionários municipais de Almada infectados tem vindo a subir, ultimamente».

Para o Sindicato é necessária «transparência e rigor na informação, para tranquilizar os trabalhadores porque tem algumas reservas quanto ao modus operandi da ECC19» e frisa que «outras câmaras do país, depois de um trabalhador acusar positivo, e identificada a ‘cadeia de transmissão do vírus pela Autoridade de Saúde’ resolveram avançar com o rastreio a todos os seus funcionários».

Por este motivo, interrogam a autarquia almadense «de que está à espera para tomar a mesma decisão, que surja algum surto ou que alguém morra?» e consideram ainda «que é preciso mais técnicos do SSO – Serviço de Saúde Ocupacional no terreno a realizar ‘sessões de sensibilização’ e a corrigir ‘erros- maus hábitos’».

O Diário do Distrito interrogou a autarquia de Almada sobre o assunto e obteve como resposta do que «a equipa de coordenação do plano de contingência da Câmara Municipal de Almada confirma que há dois casos confirmados na referida instalação e que têm sido realizados testes a todos os trabalhadores que tiveram contacto de risco com os casos confirmados, seguindo todas as orientações da saúde pública.

A Câmara Municipal de Almada lamenta e repudia ainda alarmismos desnecessários.»

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui