Almada

SIM denuncia caso de médica agredida no Laranjeiro

publicidade

O Sindicato Independente dos Médicos denuncia a situação de uma médica de Família que foi esta manhã agredida no Centro de Saúde de Santo António e Laranjeiro, Almada.

A agressão ocorreu quando a profissional estava a efectuar triagem para consultas não programadas (segundo o protocolo de segurança implementado em tempo de pandemia) nesta unidade do ACES Almada e Seixal.

Uma utente pretendia obter uma consulta no imediato para «para obter uma declaração de falta justificada para uma filha, isto é, nem sequer sendo por um motivo de urgência clínica» refere o SIM.

Perante a informação da médica de que só teria consulta na próxima quinta-feira, a utente agrediu com puxões de cabelo e murros, além de insultos.

«Foi sido cometido um crime público mas, apesar de ter sido identificada pelos agentes da esquadra da PSP do Laranjeiro (Comando Distrital de Setúbal da PSP) a agressora não foi detida, apenas identificada.

Teria sido diferente se em vez de numa unidade de saúde tivesse sido num tribunal, ou se em vez de uma profissional de saúde tivesse sido uma senhora procuradora ou juíza. Mais uma. Até quando?» lamenta o SIM.

Segundo o jornal Expresso a agressora foi identificada por elementos da PSP que foram chamados ao local e que a encontraram quando estava ainda nas instalações a apresentar uma queixa contra a médica no livro de reclamações, alegando que a mesma lhe tinha chamado nomes.

Não foi detida porque não «houve flagrante», referindo ainda a fonte policial que a médica não apresentava lesões físicas graves.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui