SETÚBAL – Urgências esgotadas levam CDS a questionar ministra da Saúde

0
404
DR - CDS-PP

CDS questionou a ministra da Saúde, Marta Temido, sobre o encerramento e sobrelotação dos serviços de urgência dos últimos dias em vários hospitais do distrito de Setúbal, entre os quais o Centro Hospitalar de Setúbal que ficou sem oxigénio para os idosos.

Nuno Magalhães, líder parlamentar do CDS, não perdeu tempo a questionar o Ministério da Saúde sobre os atrasos, encerramentos e sobrelotação de serviços de urgência dos hospitais Garcia de Orta, em Almada, Nossa Senhora do Rosário, Barreiro e Montijo e Centro Hospitalar de Setúbal, este último que noticias davam conta de que terá esgotado o oxigénio que serve os utentes mais idosos.

Segundo a Lusa, o CDS encara estes problemas como “preocupantes”, sendo necessário e prioritário assegurar o acesso à saúde, com qualidade da prestação de cuidados de saúde à população, independentemente da vaga de frio ou da época mais acentuada da gripe.

Os centristas no texto que enviaram à ministra recordam que houve “elevadíssimos tempos de espera, em alguns dos casos a chegar às 12 horas”, com “dezenas de doentes em salas e corredores sobrelotados com macas ou, inclusive, à espera dentro das ambulâncias na porta dos serviços”.

A 3 de janeiro, os tempos de espera registaram valores acima das <<seis horas>> para casos não graves, salienta o texto.

Este sábado a comissão de utentes de saúde do concelho do Seixal deu conta de atrasos no atendimento das urgências do Hospital Garcia de Orta, em Almada, já na madrugada de quinta-feira a espera chegou a atingir as 18:00.

Depois de acionado o plano de contingência da gripe, plano esse acionado pelo Ministério da Saúde, o tempo de espera para o atendimento das urgências no Garcia de Orta melhorou, afirmou à Lusa José Lourenço, da comissão de utentes do Seixal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome