Parceiros
DistritoSetúbal

SETÚBAL – SOS Sado entrega providência cautelar para suspender dragagens

O movimento SOS Sado entregou ontem no Tribunal Administrativo e Fiscal de Almada uma providência cautelar, na forma de ação popular, com o objetivo de suspender as dragagens previstas para o estuário do rio Sado.

A organização considera que “a empreitada, promovida pela administração do porto de Setúbal e apoiada pelo Governo, irá causar danos irreversíveis no ecossistema setubalense”.

De acordo com a agência Lusa, o movimento alega que as repercussões das dragagens “não foram devidamente identificadas e aprofundadas” em sede de Estudo de Impacte Ambiental.

A Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra tem um projeto para iniciar dragagens no rio Sado, a fim de retirar 6,5 milhões de metros cúbicos de areia. O objetivo é alargar o canal de navegação do estuário do Sado.

Mas as associações ambientalistas e muitos setubalenses temem que as dragagens previstas possam ter graves consequências para o ambiente, principalmente o que são considerados os berçários de muitas de espécies de peixe (as chamadas pradarias marítimas),


Outro dos receios é que as intervenções possam levar a uma diminuição siginificativa de areia nas praias da Arrábida e ao desaparecimento da comunidade de golfinhos-roazes, uma das maiores atrações do estuário do Sado.

Depois de vários pedidos, o movimento SOS Sado vai ser recebido na Assembleia da República amanhã, a partir das 10h00.




Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito
Siga-nos no Feedly, carregue em seguir (follow)


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.