Santiago do Cacém

Santiago do Cacém quer investir 1,4 milhões de euros para recuperar Cineteatro Vitória

- publicidade -

O Cineteatro Vitória, no concelho de Santiago do Cacém (Setúbal), encerrado há 40 anos, vai ser recuperado e transformado num Centro Cultural Multiusos, num investimento de 1,4 milhões de euros, a candidatar a fundos comunitários.

O projeto de recuperação deste imóvel, localizado na freguesia de Ermidas-Sado, “já está concluído” e será agora candidatado a fundos comunitários, revelou hoje o Município de Santiago do Cacém, que assinou um acordo com o Grémio Ermidense Primeiro de Agosto (GEPA), proprietário do edifício.

“Este acordo dá possibilidade à câmara municipal de apresentar uma candidatura a financiamento comunitário, cujo prazo termina na próxima semana. Temos o projeto concluído, em condições de lançar o concurso público”, explicou o presidente da autarquia, Álvaro Beijinha, citado no comunicado.

O autarca disse estar confiante na aprovação da candidatura por se tratar “de uma verba que está contratualizada no âmbito do Pacto Territorial para a Comunidade Intermunicipal do Litoral Alentejano (CIMAL) para o concelho de Santiago do Cacém”.

No âmbito da mesma candidatura, a autarquia vai apresentar um outro projeto de recuperação, relativo ao Cinema de Alvalade, também no interior do concelho, com o concurso a ser lançado no valor de um milhão de euros.

O projeto para o atual edifício do Cineteatro Vitória prevê a criação de um Centro Cultural Multiusos “para promoção da cultura, das artes nas suas diversas modalidades e do apoio a atividades de formação relevantes para o desenvolvimento socioeconómico da comunidade”.

“Este é o edifício mais emblemático da freguesia de Ermidas-Sado, por onde passaram muitas gerações de ermidenses, por isso, tem uma identidade que é importante recuperar”, sublinhou o presidente.

A autarquia “será a grande dinamizadora da oferta cultural deste espaço, mas queremos que o Grémio, outras associações da freguesia e toda a comunidade possam também ser um fator de dinamização” do futuro equipamento, incentivou.

Para o presidente da direção do GEPA, Arnaldo Frade, a assinatura deste acordo resulta da “relação estreita que existe desde 2015” no sentido de ser encontrada “uma resposta que tornasse possível a recuperação daquele edifício”, encerrado desde o início dos anos 80.

Após uma candidatura apresentada à Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) Alentejo, que não foi aprovada, a associação iniciou conversações com o município até “chegar a este acordo de cooperação”.

A parceria vai permitir voltar a “abrir as portas à comunidade de um espaço que será de fruição, informação e cultura, mas também de afirmação das comunidades”, frisou o responsável.

No âmbito do projeto, as duas entidades manifestaram interesse em criar, no futuro, um Museu de Ermidas-Sado e as Suas Gentes, focado na indústria corticeira, de moagem e na ferrovia.

Inaugurado em 1949, o Cineteatro Vitória, propriedade da família Pinto Cordeiro, acabou por encerrar a sua atividade no início dos anos 90 e, desde então, o edifício, classificado como Monumento de Interesse Municipal, permaneceu ao abandono.

- publicidade -

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui