Revolução nos passes? Saiba como vão funcionar

Familias vão poupar largas dezenas de euros com o novo passe Navegante que entrará em serviço na AML a partir de Abril.

publicidade
Tempo de Leitura: 2 minutos

Alcochete, Almada, Amadora, Barreiro, Cascais, Lisboa, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odivelas, Oeiras, Palmela, Seixal, Sesimbra, Setúbal, Sintra e Vila Franca de Xira são os concelhos que vão passar a ter apenas novos tipos de passes para transportes públicos.

A partir de 1 de Abril entram em funcionamento os novos passes na AML – Área Metropolitana de Lisboa, e que vão ter um custo máximo de 40 euros, estando à venda a partir de 26 de Março, data em que o utente ao efectuar o carregamento do seu Lisboa Viva transitará automaticamente para o novo plano.

Só quem ainda não o tem é que terá de o obter, sendo que após requisição do mesmo demora sensivelmente dez dias até que lhe seja entregue.

O passe único terminará com as centenas de títulos combinados que existem actualmente para a utilização dos transportes colectivos e vai ter apenas duas configurações: o Navegante Municipal ou de três zonas contíguas (que na Área Metropolitana da capital recebe o nome de Navegante, ao qual se seguirá o nome do respetivo concelho), cujo valor será de 30 euros (para circular nos transportes dentro de um município) e o Navegante Metropolitano, que  custará 40 euros, permitindo deslocações nos meios de transporte públicos em toda a área metropolitana. Quem usar este passe pode viajar de Setúbal até Mafra, por exemplo, sem qualquer tipo de limitação.

Haverá depois um passe gratuito para crianças, Navegante 12, válido até ao último dia dos seus 12 anos, o que actualmente só acontecia no concelho de Lisboa; e o Navegante Metropolitano +65, que se destina a maiores de 65 anos, reformados e pensionistas e vai permitir utilizar todos os serviços de transporte público regular de passageiros, em todos os 18 municípios da AML, com um custo de 20 euros e tem validade mensal.

Por último, será também criado o Navegante Metropolitano Família, para as famílias, que custará 60 euros se a família viver em Lisboa ou no Porto (conforme os casos) e 80 euros, para viagens em toda a área metropolitana de Lisboa e Porto, sem limite para o número de pessoas do agregado familiar beneficiadas, sendo apenas cobrados dois passes únicos por agregado.

No entanto, este passe embora estivesse previsto ser lançado também em Abril, devido «à complexidade técnica» o seu lançamento foi adiado para Julho.

Os passes passam a ser válidos como antigamente, de mês a mês (do dia 1 ao dia 30 ou 31, conforme o mês ou, se se tratar de fevereiro, até 28 ou 29). Acaba, deste modo, o registo da vigência por 30 dias, contados a partir do dia de compra do passe, a modalidade que existia atualmente.

Os carregamentos podem ser efetuados tanto nas bilheteiras, como no multibanco.

Apesar desta alteração, vão manter-se ainda cerca de sete dezenas de títulos pelo facto de serem mais vantajosos para os utentes (por custarem menos de 30 euros ou entre 30 e 40 euros).

Serão ainda mantidos os descontos para estudantes, reformados e carenciados.

Poupança de centenas de euros

Sobre as poupanças, tomemos com exemplo um passe da Fertagus entre Setúbal e Lisboa, incluindo Metro e Carris.

Agora o utente gasta 1.933,8 euros por ano (161,15 euros por mês). Com o novo passe, o valor a pagar cai para os 40 euros mensais (480 euros por ano), menos 121,15 euros, uma poupança anual de 1.453 euros, segundo o Jornal Económico.

Vejamos depois o caso dos TST e da Transtejo, onde o passe combinado TST/Carris/Transtejo tem um custo máximo de 61,85 euros mensal, o que significará uma economia de 21,85 euros, mas que somado por um ano, ascende a uma poupança de 262,20 euros.

Para a zona Oeste, e para quem se desloca entre Lisboa e Alcainça (na região de Mafra), o passe mensal (Mafrense mais metro de Lisboa e Carris) custa 138,50 euros (1.662 euros por ano). Com o novo passe de 40 euros por mês, as poupanças anuais atingem os 1.182 euros por ano.

 

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome