Setúbal

Reunião Pública de Setúbal marcada por insultos entre vereadores do PSD e CDU

publicidade

O valor aplicado nas decorações de natal pela Câmara Municipal de Setúbal exaltou os ânimos na reunião pública de ontem. 

Nuno Carvalho, vereador pelo PSD, sugeriu a aplicabilidade do valor gasto nas decorações no combate à pobreza, o que gerou uma onda de contestação na bancada da CDU.

O vereador Pedro Pina pediu “seriedade” a Nuno Carvalho e fez uma alusão à aliança entre o Chega e o PSD, nos Açores, afirmando como “populismo barato dizer que se resolviam problemas de pobreza com [a verba aplicada na] decoração de natal.”

O vereador do PSD não gostou e classificou a “intervenção que passa do natal ao racismo e à xenofobia no PSD” “uma originalidade” “e se fosse por isso nem estava no partido.”

Nuno Carvalho não se ficou por aí e fez comparações entre o exercício do poder pelo PSD e pela CDU: “nós ouvimos as críticas e aceitamos, mas vocês rejeitam liminarmente”.

Apelou ainda ao momento de crise em que vivemos pela pandemia, que representa “um stress brutal sobre a nossa democracia”.

A coligação entre o PSD e o Chega voltou à baila com o vereador da CDU Carlos Rabaçal que caracterizou esta parceria através do provérbio popular: “Diz-me com quem andas e dir-te-ei quem és”.

E acusou os governos do PSD de terem incentivado a pobreza com a “política dos baixos salários”, reiterando a importância das decorações que têm recebido “mostras de apreço” pela população nas “ruas”.

“A demagogia à volta da pobreza é uma vergonha, sobretudo de quem fez parte de um partido que criou tanta pobreza”, “há espaços como a Assembleia da República para combater a pobreza” e a questão dos salários.

Nuno Carvalho voltou a pedir a voz e respondeu a Pedro Pina: “O PSD e eu particularmente temos de ser sérios” para me saber “limitar naquilo que devo dizer e o como fazer” e “o senhor tem de saber onde deve atacar”. O “fundamental aqui é o que devemos fazer pelos setubalenses” e o “senhor vereador Pedro Pina estica-se nas suas declarações”.

Pedro Pina acusou então Nuno Carvalho “de ser mal educado” e que “esticar-se não lhe admito esta expressão”, reiterando que é “populismo dizer que se se resolve a pobreza com as decorações de natal”.

A presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira, concluiu o assunto afirmado que “a polémica do natal vem sempre perto das eleições” e “é uma atividade partidária”.

Reafirma ainda que “a opinião dos cidadãos é respeitada”, mas dizer que “o dinheiro devia ser aplicado no combate à pobreza” é “demagogia dos partidos”, completa.

“Não consideramos dinheiro mal gasto”, uma vez que “aos Paços do Concelho vieram 20 mil visitantes no ano passado que comeram nos restaurantes e dormiram nos hotéis”. Para a autarca é “um investimento” e informa que “mesmo nesta situação tivemos visitas”, conclui.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui