País

Restaurantes querem “mordomos” a fiscalizar regras de segurança

A Associação Nacional de Restaurantes PRO.VAR propôs ao Governo a criação de uma figura de "mordomo" para fiscalizar as regras de segurança e prevenção contra a COVID-19.

publicidade

A Associação Nacional de Restaurantes PRO.VAR propôs ao Governo a criação de uma figura de “mordomo” para fiscalizar as regras de segurança e prevenção contra a COVID-19 nos estabelecimentos..

“O que estamos a pedir ao Governo é que incluam no Adaptar 2.0 uma verba para complemento de salário para que se crie um responsável dedicado nos restaurantes, um “mordomo”, alguém que possa assegurar que os procedimentos estão a ser cumpridos”, disse Daniel Serra, presidente da PRO.VAR, em entrevista à Lusa.

O programa Adaptar 2.0 permitirá auxiliar e estimular micro e pequenas e médias empresas com um orçamento de 50 milhões de euros.

“Não queremos que pague o justo pelo pecador, alguns restaurantes ignoram as regras e outros cumprem-nas com rigor”, acrescentou Daniel Serra.

“Seria importante que o Governo permitisse que fosse elegível no Adaptar, que em breve será disponibilizado, uma verba para complemento de salário, que poderia ser de 1/3 do valor do salário bruto e que tivesse a duração de pelo menos seis meses, período que se prevê maior pico da pandemia.

Acho que nenhum país adotou esta medida, é uma ideia da PRO.VAR já apresentada ao Governo e que esperamos que venha ser aceite”, sublinhou.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui