AlmadaJustiça

Rede de venda ilegal de carros condenada pelo Tribunal de Almada

Tribunal Criminal de Almada julgou 25 arquidos

publicidade

O Juízo Central Criminal de Almada condenou, no passado dia 11 de setembro, 25 arguidos, um de nacionalidade romena e os restantes portugueses, pela prática de crimes de burla qualificada, falsificação e branqueamento de capitais e associação criminosa, segundo informação do Ministério Público.

O tribunal deu como provado que um grupo de indivíduos liderou um esquema em que colocavam anúncios em sites estrangeiros, para venda de viaturas topo de gama, a preço apelativo.

O esquema consistia na criação de páginas clonadas de outras legítimas, garantindo seguro de risco na transação, assim iludindo os clientes, todos eles estrangeiros.

Os lesados depositavam o dinheiro em contas bancárias «barriga de aluguer», tituladas por 23 arguidos portugueses, que, depois, levantavam os valores e os entregavam aos chefes da associação criminosa.

Os montantes, na ordem das largas dezenas de milhares de euros, foram, nalguns casos, retidos pela investigação e devolvidos aos ofendidos.

Um arguido português, que à data dos factos era empregado bancário, também condenado pelos crimes de associação criminosa e branqueamento, deu contributo decisivo ao grupo criminoso, prestando informação do melhor momento e local para os depósitos e levantamento.

Ao principal arguido foi aplicada pena de 7 anos de prisão efetiva, enquanto aos demais 24 arguidos foram fixadas penas entre os 5 anos e os 3 anos e 4 meses, suspensas na sua execução, todas sob regime de prova.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui