coronavírusJustiça

PSP com 52 elementos infetados e perto de 400 de quarentena

publicidade

A Polícia de Segurança Pública indicou hoje que tem 52 elementos infetados com covid-19 e cerca de 400 estão de quarentena, assegurando apoio psicológico a todos os polícias com 30 psicólogos.

Em comunicado, a Direção Nacional da PSP refere que regista, até ao momento, 52 profissionais infetados com covid-19, 46 dos quais são polícias e 6 técnicos sem funções policiais.

A PSP avança que segue os protocolos em vigor, sendo de imediato sinalizadas às autoridades de saúde e encaminhados para isolamento as pessoas que mantiveram contacto direto permanente ou partilhado o mesmo espaço de trabalho com os infetados.

Já em confinamento obrigatório ou vigilância activa estão menos de 400 polícias, e adianta ainda que 43 polícias obtiveram resultado de contágio negativo em teste médico realizado após apresentarem sintomatologia suspeita e 207 que se encontravam em isolamento já regressaram ao serviço.

Desde o dia 30 de março nenhuma esquadra ‘se encontra em plano de contingência’ o que significa que não há instalações policiais ‘temporariamente encerrada ou a executar a missão quotidiana com apoio permanente de outras subunidades’.

A PSP frisa que a divisão de psicologia encontra-se a apoiar psicologicamente os polícias e pessoal com funções não policiais, nomeadamente garantindo o funcionamento permanente da linha interna com o empenho permanente de mais de três dezenas de psicólogos.

«Em todos os casos de confirmação/suspeita/quarentena devido ao covid-19, a divisão de psicologia garante o acompanhamento próximo com 12 psicólogos dedicados» refere o comunicado e neste âmbito, é feita uma avaliação do estado emocional, contexto psicossocial e eventuais vulnerabilidades associadas em situações de isolamento profilático ou diagnóstico positivo.

A PSP destaca que se verifica, até à data, ‘uma taxa de crescimento dos casos confirmados inferior à média nacional’, apesar do trabalho de primeira linha em direta interação com os cidadãos em espaços abertos e locais de risco.

Ler mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui