Atualidade

PS identifica o dono da Herdade da Comenda e “exige que Câmara defenda o interesse da população”

- publicidade -

O PS de Setúbal, em nota de imprensa, dá conta que a Herdade da Comenda foi adquirida pela Fundação Mirpuri e “exige” que a Câmara “defenda o interesse dos Setubalenses”, uma vez que, na ótica do partido, “nada foi feito para garantir de forma eficaz a utilização do Parque de merendas da Comenda”.

O partido fala do clima “crescente e constante hostilidade injustificada dos novos proprietários para com os habituais utilizadores de um conjunto de espaços há muito frequentados pela população do Distrito”, depois da “aquisição da propriedade conhecida como Herdade da Comenda pela Fundação Mirpuri e a realização de novas vedações dos seus espaços”.

A situação piorou depois do “mais grave e recente episódio de hostilidade  manifestada pelos proprietários constitui um inqualificável atentado à liberdade, ao vedar o Parque de merendas da Comenda, colocando portões e impedindo o seu uso, no dia a seguir ao das eleições autárquicas”, reiteram.

Assim, mesmo depois da “Câmara Municipal de Setúbal ter anunciado avançar judicialmente com um pedido de expropriação deste espaço em reunião de câmara, foi inclusivamente assumido perante os vereadores que já tinham em seu poder a avaliação necessária para o efeito” pedem que a Câmara “defenda o superior interesse dos setubalenses, atuando de imediato e tomando todas as medidas proativas necessárias de modo obrigar os proprietários a cumprir a lei e a acabar de imediato com a proibição e o impedimento do livre acesso ao Parque de Merendas da Comenda por qualquer cidadão”.

Acusam ainda a autarquia de “falta de transparência neste processo”. A par do PS, o Bloco de Esquerda é mais brando, mas pede ação ao executivo camarário: a “decisão da Câmara Municipal de Setúbal de embargo da vedação de acesso ao Parque é de saudar, mas revela também as hesitações que tem tido ao longo de todo este processo em que questionada mais de que uma vez em assembleia municipal durante o último mandato, não conseguiu responder com a devida transparência, quer em relação aos protocolos que estaria a tratar com os proprietários sobre o Parque da Comenda e a utilização do parque de estacionamento da Albarquel, quer sobre embargos a intervenções dos proprietários e expropriações”.

A Fundação Mirpuri, de acordo com o site do organismo, “é uma organização sem fins lucrativos estabelecida em Portugal pelo empresário e filantropo Paulo Mirpuri. Criada com o propósito de criar um mundo melhor para as gerações futuras, a Fundação tem vindo a estabelecer parcerias com governos, empresas, comunidades e indivíduos de modo a apoiar projetos específicos nas áreas da conservação marinha e da vida selvagem, cultura, responsabilidade social, investigação na área da medicina e na área aeroespacial. Transversal a tudo o que a Fundação Mirpuri faz está sempre o seu elevado compromisso de sustentabilidade, pondo em prática diversas iniciativas no sentido de contribuir para um mundo melhor”.

Paulo Mirpuri, presidente da organização, é um empresário português com negócios numa vasta área de setores, tais como, Companhias Aéreas, Empresas de Manuseio de Aeronaves, Engenharia e Manutenção de Aeronaves, Financiamento de Aeronaves, Leasing e Comércio, Catering a bordo, Florestas e Agricultura, Desenvolvimento Imobiliário e Imobiliário, Assistência Médica, entre outros ramos de investimento.

 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo