Cantinho da BicharadaMoita

Projeto CED Moita já efetuou mais de 750 esterilizações em gatos de rua

- publicidade -

O Projeto CED (Capturar, Esterilizar e Devolver) Moita é constituído por um grupo informal de voluntários que tem vindo a intervir, no concelho da Moita, junto das colónias de gatos numerosas ou problemáticas que vivem na rua, com o objetivo de controlar a sua população, mantendo-a saudável.

Com intervenção em todo o município, este grupo efetuou, desde a sua criação em 2015, mais de 750 esterilizações em gatos de rua.

tarot terapêutico

O projeto, apoiado pela autarquia, além da captura, esterilização e devolução dos gatos de rua, desdobra-se ainda no apoio e sensibilização dos tratadores dos gatos de rua, sobretudo no que respeita à importância da remoção dos restos de alimentos, e em campanhas para a adoção.

A Câmara Municipal da Moita considera que «os resultados do CED são muito positivos, com a redução significativa do número de indivíduos em cada colónia, cuja existência desempenha um importante papel no controle das pragas urbanas de roedores» e enaltece o trabalho que tem sido realizado no âmbito deste projeto, reconhecido pela população e por outros municípios.

«O empenho dos voluntários e a sua grande dedicação, assim como a capacidade de trabalho em equipa e a colaboração dos veterinários em regime de voluntariado, têm sido fundamentais para os resultados obtidos», considera o Vereador Miguel Canudo, responsável pela área de serviços urbanos e ambiente.

«Queremos reconhecer que só a persistência e abnegação destes voluntários, em detrimento do tempo para a família e lazer, levaram ao êxito deste projeto, tão importante para que os animais tenham uma maior qualidade de vida e, nos casos onde é possível, também uma família que os acolha», salienta o Vereador Miguel Canudo.

Fonte: Câmara Municipal da Moita

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui