Porto

Professor proíbe aluna de realizar exame por estar “muito destapada”

- publicidade -

Na Faculdade de Direito, da Universidade do Porto, um professor da “História do Direito”, disciplina do primeiro ano de faculdade, não permitiu, na passada sexta-feira, a uma aluna a realização de um exame por esta estar “muito destapada”.

O jornal I avança ainda que o professor pediu À aluna que vestisse um casaco: “Uma estudante viu ser-lhe negada a realização de um exame em virtude da forma como estava vestida, uma vez que o docente da Unidade Curricular considerou que a colega estava ‘muito destapada’. Mesmo após a estudante ceder à pressão misógina e de abuso de autoridade, o professor apenas lhe concedeu um enunciado quando um colega o alertou nesse sentido”, partilha a página de Facebook do núcleo HeforShe da instituição de Ensino Superior.

O núcleo diz que é “efetivamente deplorável a forma como, em 2021, quem quer que seja ainda considerar que pode determinar como pode ou não uma mulher vestir-se”, imputando culpas à faculdade pela “forma passiva e de inação total” perante a reincidência de casos semelhantes.

O Porto Canal avança também que a Faculdade de Direito abriu um inquérito disciplinar: “a FDUP é uma Faculdade de Direito pública sujeita ao regime do artigo 43.o da Constituição da República Portuguesa, onde, por isso, não podem ter lugar quaisquer ‘diretrizes filosóficas, estéticas, políticas, ideológicas ou religiosas’”, cita o email enviado aos alunos pela faculdade e citado pelo Porto Canal.

O Observador diz que o professor visado é Paulo Pulido Adragão, doutor em Direito Público do Estado e especialista nas questões relativas às relações Igreja-Estado.


Artigos Relacionados

comentário

  1. Tem de haver um meio termo. Um exame não é um local de festa nem de passerelle. Dá a entender que quando uma aluna mostra o peito desnudo, mais não quer que cair nas graças do professor para ser beneficiada. Não se trata de um modo de vestir, como os dreads ou algo semelhante: trata-se de vestir eroticamente, o que convenhamos, tem de haver regras definidas sobre atitudes, decência e intenções provocatórias com vista a favorecimento! É claramente a pretensão da aluna! Teve a hipótese de se resguardar vestindo um casaco…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui