DistritoDistrito SetúbalJustiça

Portugal recebe maior exercício europeu de Proteção Civil

publicidade

Portugal vai acolher o exercício europeu de proteção civil Cascade 19, o maior de sempre em território nacional, que se realiza entre 28 de maio e 1 de junho, com a participação de cinco outros países e que decorrerá nos distritos de Aveiro, Évora, Lisboa e Setúbal, em cerca de 20 localidades e abrangendo mais de 60 cenários distintos, adianta um comunicado da Proteção Civil.

Organizado pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, com a colaboração da Direção-Geral da Autoridade Marítima e cofinanciado pela União Europeia, o exercício irá mobilizar mais de 600 operacionais de Portugal, Alemanha, Bélgica, Croácia, Espanha e França.

Entre os cenários estão «condições meteorológicas adversas, como precipitação muito intensa no distrito de Aveiro, e um evento sísmico nos distritos de Évora, Lisboa e Setúbal, com uma série de ocorrências em cascata, como cheias, poluição marítima, ruturas de barragens, acidentes químicos, colapso de estruturas, acidentes ferroviários e rodoviários, e incêndios urbanos, cujas consequências são danos materiais avultados e um número significativo de vítimas mortais».

O Cascade 19 visa treinar a resposta internacional na sequência do acionamento do Mecanismo de Proteção Civil da União e, simultaneamente, a resposta interna a emergências de elevada complexidade.

O exercício será objeto de avaliação por parte de um conjunto de observadores e avaliadores, nacionais e estrangeiros, de forma a prosseguir o seu objetivo último: identificar quer boas práticas quer falhas e constrangimentos, e melhorar aos diversos níveis os processos de gestão das emergências.

O Cascade 19 tem um website dedicado, que disponibiliza informação sobre o planeamento de uma operação com estas dimensões.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui