Sines

Porto de Sines assina protocolos com Universidade de Aveiro e Escola Tecnológica do Litoral Alentejano

- publicidade -

A Universidade de Aveiro, a Escola Tecnológica do Litoral Alentejano (ETLA) e a Administração do Porto de Sines (APS) celebraram protocolos para desenvolver um novo programa de digitalização e inovação do Porto de Sines: o “modelo de gestão de ‘Community Manager’, vertido no Plano Estratégico para a próxima década”.

O protocolo com a Universidade de Aveiro visa “fomentar a investigação e desenvolvimento de projetos em áreas como a cibersegurança, gestão e análise de dados, desenvolvimento de modelos preditivos ou gestão de operações e logística”.

“A cooperação entre as duas entidades basear-se-á na partilha de conhecimento, recursos humanos e infraestruturas tecnológicas, privilegiando a realização de iniciativas conjuntas com vista ao desenvolvimento de soluções eficientes e inovadoras”, completa a administração à Rádio M24.

Já o protocolo entre a APS, ETLA e a empresa EGAPI, “visa essencialmente reforçar a colaboração entre o porto e os seus stakeholders, no intuito de dar resposta às crescentes exigências na área da transformação digital da atividade portuária e logística, no sentido de promover a eficiência e competitividade do porto”.

A APS acredita que “num mercado cada vez mais competitivo e global, em que o porto deve assumir para si o papel de orquestrador e catalisador de investimento e desenvolvimento da comunidade portuária que lhe é inerente, a aproximação entre os sistemas académico e empresarial abre espaço a uma nova e melhor cultura, mais eficiente e empreendedora, visando a obtenção de respostas conjuntas face aos elevados padrões de sustentabilidade ambiental e viabilidade económica e financeira atuais, não perdendo o foco que deve ser dado aos crescentes desafios da digitalização”.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui