DistritoDistrito SetúbalMontijo

Plataforma cívica contesta no Parlamento novo aeroporto no Montijo

publicidade

A ‘Plataforma Cívica Aeroporto BA6 – Montijo NÃO!’ voltou hoje a contestar o impacto negativo do novo aeroporto na zona protegida do estuário do Tejo e na saúde da população, durante uma audição na Assembleia da República.

José Encarnação, um dos representantes, referiu que esta plataforma foi constituída «no sentido de um debate sereno que serve de resolução dos problemas» que a construção do aeroporto pode suscitar, refere a Lusa.

Ao grupo de trabalho de concessão de audiências à comissão parlamentar de Ambiente, Vítor Silveira, piloto aéreo e também membro da plataforma cívica, clarificou que «17 quilómetros vão ser sobrevoados em baixa altitude e todas as implicações desses voos vão lá estar, referindo-se aos incómodos para a população e para o ambiente.

Os aviões vão passar no Barreiro e Baixa da Banheira sobre casas sem isolamento térmico, sonoro e envelhecidas», explicou, referindo que o perfil do percurso que os aviões vão tomar vai afetar a zona protegida do estuário do Tejo.

Da parte do Governo, Maria Luís Albuquerque, deputada do Partido Social-Democrata (PSD), contrapôs que a nível dos custos e da localização, «entre as várias alternativas que foram apontadas pelo Governo anterior», a Base Aérea 6 do Montijo era a que melhor complementava o Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, que se encontra mais do que lotado.

Também José Manuel Carpinteiro, deputado do PS, frisou que «além de ser uma oportunidade de desenvolvimento da região, é necessária esta expansão que vai acontecer na base do Montijo e rápido», salientando que «a segurança deve estar sempre salvaguardada, mas a decisão está tomada, faltando apenas receber o Estudo de Impacto Ambiental».

Joana Mortágua, deputada do Bloco de Esquerda (BE), não compreende a decisão do Governo, apelidando-a de «solução ‘low-cost’ (baixo custo)» e como uma «solução precipitada» não tem como resultar a longo prazo, porque «traz imensos prejuízos para a população».

O deputado do Partido Comunista Português (PCP) Bruno Dias esclareceu que a pista que é utilizada hoje no Montijo não é a mesma que vai ser utilizada se se der a construção do novo aeroporto, que se localiza «mesmo junto ao estuário do Tejo, e que a possível construção ou alargamento das pistas necessárias para a funcionalidade do aeroporto no Montijo leva a que estas fiquem praticamente em cima das zonas habitacionais e industriais».

A “Plataforma Cívica Aeroporto BA6 – Montijo NÃO!” reforçou durante toda a intervenção que «a Base Aérea do Montijo não é um aeroporto e tem regras e aeronaves diferentes», sendo que o envolvente apresenta muitas árvores e aves que considera um perigo para os voos baixos dos aviões.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui