AtualidadeMontijo

Plataforma Cívica ‘Aeroporto BA6-Montijo Não!’ deu parecer desfavorável ao PRR

Plataforma Cívica Aeroporto BA6-Montijo Não! aponta críticas ao Plano de Recuperação e Resiliência

- publicidade -

A `Plataforma Cívica Aeroporto BA6-Montijo Não!´ deu parecer desfavorável ao Plano de Recuperação e Resiliência, documento a nível nacional que está em consulta pública.

Entre vários argumentos sobre a nova infraestrutura aeroportuária, que a Plataforma contesta, é ainda apontado «o completo abandono a que é votada toda a Margem Sul do Tejo, nomeadamente no domínio das infraestruturas e acessibilidades».

Segundo a nota de imprensa da entidade «nenhuma referência é feita quanto à necessária, indispensável e inadiável Terceira Travessia do Tejo (TTT), prevista na revisão do Plano Regional de Ordenamento do Território da Área Metropolitana de Lisboa (PROT/AML) de 2011, e à expansão do Metro do Sul do Tejo. No domínio das infraestruturas apenas é referida a variante da Atalaia (Montijo) – EN4».

O PRR é de aplicação nacional, com um período de execução até 2026, com recursos que ascendem a cerca de 14 mil M€ de subvenções, um conjunto de reformas e de investimentos que permitirão ao país retomar o crescimento económico sustentado, reforçando assim o objetivo de convergência com a Europa ao longo da próxima década.

A Plataforma Cívica deu um parecer desfavorável argumentando que este PRR «não prevê o abandono do novo aeroporto no Montijo nem contempla a construção da terceira travessia do Tejo».

Segundo anúncio desta entidade «a Plataforma Cívica só pode ter um parecer negativo, sobretudo quanto ao que não está, e devia estar, no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR)”, e acusa o Governo de insistir numa solução que «afronta diversas leis da República e diretivas da União Europeia».

Centrando-se nas questões ligadas à aviação, a Plataforma relembra que «não se conhecem os dados que têm servido de base às justificações do Governo para satisfazer os interesses e lucros da ANA/VINCI, manter o aeroporto no centro de Lisboa, à revelia de todas as tendências e determinações de instituições internacionais».

A Plataforma Cívica sublinha também que a construção do novo aeroporto na BA6, apoiada pelo Governo, «não se insere em nenhum Plano Nacional Estratégico para o setor aeroportuário com uma visão holística de conectividade global, considerando o papel do transporte aéreo num mundo globalizado e as restantes infraestruturas de transportes terrestres e portuárias».

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui