PJ abre caça ao homem em Inglaterra

Suspeitos do homicídio de rapper Mota JR. terão fugido para Inglaterra durante o período de quarentena. Dois dos suspeitos já foram localizados pelas autoridades portuguesas

1
@DR
publicidadeGearbest Alfawise V8S Max UV Sterilization + Disinfectant Disinfection Wet and Dry Robot Vacuum Cleaner promotion
Tempo de Leitura: < 1 minuto

Os olhares da Polícia Judiciária portuguesa estão agora sob o País de Gales, pois dois dos três suspeitos do rapto e assassinato do rapper Mota Jr. foram encontradas em Inglaterra onde a PJ já lançou uma autêntica caça ao homem naquele país, como noticia hoje o CM.

Foi na madrugada de 15 de março, que o rapper Mota Jr. foi sequestrado no túnel de acesso à sua casa. Os atacantes tinham como objetivo o roubo das joias e dinheiro do rapper, de 28 anos. Segundo o mesmo jornal, os atacantes saíram do País na semana seguinte, em direção a Inglaterra, ainda decorria a quarentena decretada pelo Governo.

O objetivo do rapto foi o roubo das joias e do dinheiro e torturá-lo se Mota Jr. resistisse. Horas depois o grupo volta a casa do rapper, numa altura que a mãe e irmã não estavam, altura essa que estariam a prestar declarações na PJ. O grupo com a vida facilitada, pois tinham as chaves que tinham roubado ao cantor, e sabendo onde estaria o que procuravam, fizeram o assalto que foi cirúrgico, pois a casa não foi virada do avesso. Ao que tudo indica, o rapto foi pensado só por um indivíduo, alguém que Mota Jr. conhecia. Depois de tudo planeado, o indivíduo contactou mais dois para procederem ao plano bem elaborado.

O cabecilha do gang, já referenciado por assaltos violentos, saiu do País mesmo antes da declaração do estado de emergência. A PJ conseguiu seguir o rasto do ouro roubado, identificando os envolvidos na venda das joias. O corpo iria a ser encontrado numa zona de mato na Serra da Arrábida, a autópsia ao corpo de David Mota aponta para uma morte violenta. O espancamento terá sido a causa da morte do rapper. O cantor foi agredido ao soco e pontapé e no local do crime a quantidade de sangue era notória que o cantor já estaria debilitado quando foi raptado. Pode ser uma causa de prova que o cantor já estava morto quando foi deixado naquele local em Sesimbra.

 

publicidade

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome