Comunicados InstitucionaisEconomia
Em Destaque

Pedir Crédito Pessoal: o que deve saber sobre a taxa de esforço

- publicidade -

A expressão “taxa de esforço” é bem conhecida por aqueles que já pediram um crédito pessoal, mas será que a maioria dos consumidores sabe do que se trata?

O que é a taxa de esforço?

É prática comum, as instituições financeiras requerem comprovativos de IRS e recibos de vencimento quando alguém solicita um empréstimo pessoal. Tal acontece porque estes elementos são essenciais para que os bancos percebam se o pagamento das prestações do crédito será, ou não, um encargo demasiado elevado para o consumidor.

Isto consegue-se através da taxa de esforço, uma taxa que mais não é do que o resultado de um cálculo onde se divide os encargos financeiros mensais com as prestações do crédito que se pretende contratar pelo rendimento total liquido do agregado familiar num mês e depois se multiplica por 100.

Fórmula de cálculo da taxa de esforço:

Encargos financeiros / Rendimento Líquido Total do Agregado) x 100

De forma muito simples, a taxa de esforço corresponderá ao rendimento que o agregado familiar terá disponível para fazer face às despesas do dia-a-dia (tais como alimentação, transportes e combustível, educação e lazer) após o pagamento das obrigações mensais com o crédito.

A percentagem de referência para finanças saudáveis deve corresponder a um terço do rendimento total do agregado familiar, ou seja, 33%.

Apesar de ser utilizada para os diferentes tipos de pedido de crédito pessoal, a taxa de esforço também servirá para o caso do consumidor já ter diversos créditos contraídos e os quiser juntar num só crédito consolidado.

Para ter uma noção mais exata do que acabamos de explicar, vamos deixar-lhe com dois casos práticos: um para o pedido de um crédito pessoal e um outro para o pedido de um crédito consolidado.

Caso prático 1: Taxa de esforço para um pedido de crédito pessoal

O sr. Machado vive com a esposa e a filha numa casa que está a precisar de obras urgentes no telhado. Depois de consultar um empreiteiro, ficou a saber que a obra ficaria orçada em 10 mil euros, dinheiro que o nosso personagem não tinha a pronto. A forma de contornar este problema foi procurar um crédito pessoal que o ajudasse a financiar a empreitada.

Depois de uma tournée exaustiva por várias instituições financeiras e com a necessidade de um crédito pessoal rápido, o Sr. Machado “aterrou” no simulador de crédito pessoal do Unibanco. Apesar do crédito pessoal Unibanco disponibilizar valores entre os 5 mil e os 75 mil euros para prazos que vão dos 24 aos 84 meses, o nosso interlocutor continuou firme no pedido de 10 mil euros decidindo-se a pagá-los em 36 meses.

O resultado foi uma prestação mensal fixa de 324,3 euros. Como o Sr. Machado ganha 750 euros/mês, a esposa 700 euros e a filha 680, o rendimento líquido total do agregado familiar atinge 2130 euros. Assim, a taxa de esforço será:

Cálculo da Taxa de Esforço do Sr. Machado

Rendimento líquido acumulado do agregado = 2130 euros

- publicidade -

Encargos financeiros com créditos = 324,3 euros

Fórmula= Encargos financeiros / Rendimento Líquido Total do Agregado) x 100

Taxa de Esforço do Sr. Machado: 324,3/2130 x100 =15,2%

Perfeitamente compatível com as necessidades e possibilidades do clã, os 15,2% de taxa de esforço permitem são a via verde para que se passe à contratualização deste crédito junto do Unibanco. Mas não demasiado junto, uma vez que no âmbito da digitalização dos processos de adesão em curso no Unibanco, o Sr. Machado pode aderir a este cartão de crédito online.

A simulação apresentada diz respeito a um financiamento de €10.000 a pagar em 36 mensalidades de €324,30. TAN 9,95% e TAEG 13,3%. MTIC €11.995,34.[AC1] 

Caso prático 2: Taxa de esforço para um pedido de crédito consolidado

João e Rita casaram e compraram casa. Pediram, para o efeito, um crédito à habitação que se veio juntar a dois créditos pessoais que traziam da sua vida de solteiros. No total, o casal somava 41 mil euros em dívida decorrente dos créditos contraídos e prestações mensais no valor total de 1200 euros.

O rendimento líquido total do agregado é de 2200 euros, valor que em conjunto com os créditos a pagar representa para o casal uma taxa de esforço de 54,5%.

Cálculo da Taxa de Esforço do casal João e Rita

Rendimento líquido acumulado do casal = 2200 euros

Encargos financeiros com créditos = 1200 euros

Fórmula= Encargos financeiros / Rendimento Líquido Total do Agregado) x 100

Taxa de Esforço do casal João e Rita: 1200/2200 x100 =54,5%,

Como esta taxa não deverá ser superior a 33%, um terço do rendimento total do agregado familiar, este casal via-se impossibilitado de pedir um financiamento extra dado ser um encargo demasiado grande para o seu orçamento.

A única solução que lhes podia valer era, então, pedir um crédito que lhes permitisse consolidar créditos e, consequentemente, baixar a sua taxa de esforço.

Para que tal aconteça, o casal pretende pedir um crédito consolidado de 41 mil euros (o valor total a amortizar) a pagar em 84 meses.

Tal como o senhor Machado, o João e a Rita decidiram consultar o Unibanco. Através do simulador que a instituição coloca ao dispor no seu site, o casal efetuou a sua simulação de crédito consolidado e obteve uma prestação de 718,33 euros a pagar ao longo de 84 meses.

Vamos ver como é que esta opção se refletiu na sua taxa de esforço:

Nova Taxa de Esforço do João e da Rita: 718,33/2200 x100 =32,6%

Contratualizado este crédito consolidado Unibanco, o casal passou de um valor total em mensalidades de 1200 euros para os 718,3 euros, o que significa uma poupança efetiva de 481 euros por mês. Com esta operação, a sua taxa de esforço que antes se situava nos 54,5%, passou agora a estar nuns saudáveis 32,6%.

A simulação apresentada diz respeito a um financiamento de €41.000 a pagar em 84 mensalidades de €718,33. TAN 11,30% e TAEG 13,4%. MTIC €61.422,79.


 [AC1]Uma vez que referimos valores de mensalidades temos que incluir a referência às informações de financiamento.


Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui