Atualidadecoronavírus

Pedido de ajuda ao Banco Alimentar aumentou

publicidade

Desde que o Covid-19 entrou em Portugal e o Governo decretou estados de emergência, ao Banco Alimentar Contra a Fome tem chegado os mais variados pedidos de ajuda. Desde dentistas a motoristas, tudo pede ajuda para que possam receber alimentos doados pelo Banco Alimentar.

Segundo Isabel Jonet, desde a pandemia que os pedidos já se situam nos 55 mil.

Em declarações à rádio Renascença, a presidente diz que “Estamos a falar de 11.500 novos pedidos de apoio alimentar só este domingo de manhã. E isto são agregados familiares. Portanto, estimo que sejam à volta de 55 mil pessoas que se dirigiram à rede de emergências”, pedidos esses que foram chegando com a chegada do coronavírus ao país.

Segundo fonte próxima do Banco Alimentar, os pedidos são das mais variadas classes, como motoristas de táxi ou de Uber, personal trainers, fisioterapeutas, dentistas, trabalhadores de circo, feirantes, cabeleireiras, manicures, profissionais ligados ao turismo, entre outros.

Um dos apoios constantes no terreno são as IPSS e as juntas de freguesias, também as autarquias com o seu setor social também tem feito o levantamento necessário para ajudar essas pessoas.

Existem também relatos de pessoas que dizem <<não temos nada no frigorifico a não ser restos>>, são situações reais e difíceis de gerir numa altura destas.

Ler mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui