Alcácer do Sal

Parceria vai recuperar muralhas do Castelo de Alcácer do Sal

Muralha do Castelo apresenta problemas estruturais

- publicidade -

Uma parceria entre a Câmara Municipal de Alcácer do Sal e Direção Regional de Cultura do Alentejo (DRCAlen) vai permitir a recuperação das muralhas do Castelo de Alcácer do Sal (Setúbal), que apresentam problemas estruturais.

«O Estado, ao longo dos anos, não tem intervencionado as muralhas do Castelo de Alcácer do Sal» referiu hoje à agencia Lusa o presidente da câmara, Vítor Proença.

A autarquia, em colaboração com a DRCAlen, considerou que devia ser aproveitado «o financiamento do Portugal 2020 para avançar com uma intervenção, que só poderia ser feita se o município fosse o dono da obra», que terá o custo de um milhão de euros.

Após a assinatura da parceria entre as duas entidades, o município pretende candidatar a intervenção a financiamento europeu, no âmbito do Pacto Territorial para a Comunidade Intermunicipal do Litoral Alentejano (CIMAL), que permitirá recuperar as muralhas do Castelo de Alcácer do Sal, classificado como Monumento Nacional.

«O projeto de execução foi desenvolvido por técnicos da DRCAlen e cabe agora ao município lançar a obra no início do próximo semestre», adiantou o autarca.

A intervenção irá ser realizada num troço na zona norte da muralha, que confina com um conjunto de habitações, «dado que a muralha e as suas sucessivas derrocadas estão a colocar em perigo vidas humanas e bens pessoais» indicou o autarca, devido ao facto de a pedra da muralha estar muito degradada.

«Neste momento, ainda não temos a garantia do valor exato que a Direção Regional de Cultura do Alentejo vai conseguir assumir, na componente nacional, mas estamos a trabalhar em conjunto para que 50% seja suportado pelo município e os restantes 50% pela DRCAlen», indicou Vítor Proença, e se a direção regional não avançar «o município está preparado, porque tem saúde financeira, para avançar com a obra».

O Castelo de Alcácer do Sal alberga no seu interior diversos edifícios de interesse, como a Pousada D. Afonso II, a Cripta Arqueológica, a Igreja de Santa Maria do Castelo e a estação arqueológica do Fórum Romano e da área residencial.


Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo