Parceiros
Atualidade

Papa denuncia “perverso abuso poder” na invasão à Ucrânia

- publicidade -

O Papa Francisco condenou esta sexta-feira “o perverso abuso de poder” na agressão russa à Ucrânia.

Numa mensagem enviada a um encontro de representantes católicos europeus na Eslováquia, Francisco pediu ainda ajuda para os ucranianos, que estarão a ser atacados na sua “identidade, história e tradição” e que têm direito a “defender a sua terra”.

O Pontífice tinha dito na quarta-feira ao patriarca da Igreja Ortodoxa russa, Kirill, que o conceito de “guerra justa” é obsoleto, porque as guerras nunca são justificáveis, e que os religiosos devem pregar a paz em vez da política.

Estas declarações do Papa aconteceram durante uma videochamada na quarta-feira, na qual Francisco criticou a aparente defesa da guerra feita pelo patriarca ortodoxo.

Kirill terá justificado a invasão descrevendo-a como parte de uma luta contra o pecado e a pressão de estrangeiros liberais para realizar “desfiles do Orgulho gay”.

Para o Papa, “o grito desolador dos nossos irmãos ucranianos obriga-nos, enquanto comunidade de crentes, não apenas a uma séria reflexão, mas a chorar com eles e a esforçarmo-nos por eles”.

“O sangue e as lágrimas das crianças, o sofrimento das mulheres e homens que estão a defender a sua terra ou a fugir às bombas abalam a nossa consciência”, disse o Papa.

Para líder da Igreja Católica, “a humanidade é ameaçada por um perverso abuso de poder e interesses sectários, que estão a condenar um povo indefeso a sofrer todas as formas de violência brutal”.


Sondagem | Tem condições para acolher refugiados ucranianos em sua casa?
VOTE AQUI!
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito

Escreva um comentário