PAN quer ouvir MAI sobre medidas de prevenção para época de incêndios florestais

O PAN requereu uma audição urgente, ao ministro da Administração Interna, para apurar as medidas e meios previstos para preparar a época de maior risco de incêndios florestais, tendo em conta o contexto de surto epidemiológico de Covid-19.

0
DIÁRIO DO DISTRITO IMAGENS
publicidadeGearbest Alfawise V8S Max UV Sterilization + Disinfectant Disinfection Wet and Dry Robot Vacuum Cleaner promotion
Tempo de Leitura: < 1 minuto

O PAN – Pessoas-Animais-Natureza requereu uma audição urgente, por videoconferência, do Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, com vista a apurar quais são as medidas e meios que estão previstos para preparar a época de maior risco de incêndios florestais, tendo em conta o contexto de surto epidemiológico de Covid-19.

No comunicado enviado às redações, uma das preocupações do PAN prende-se com a necessidade de assegurar a melhor coordenação e gestão dos recursos humanos e materiais, de modo a que se possa garantir em simultâneo um combate eficaz à propagação da Covid-19 e aos incêndios florestais.

«Pretendemos com esta audição que o ministro da Administração Interna venha prestar ao Parlamento e aos cidadãos todos os esclarecimentos sobre como se está a preparar o país para prevenir épocas de incêndios com a gravidade como aquela a que, infelizmente, temos vivido nos últimos anos.

A última coisa de que o país precisa neste momento é de duas crises em simultâneo: a Covid-19 e os incêndios» explica a líder parlamentar e deputada do PAN, Inês de Sousa Real.

O PAN pretende, por conseguinte, garantir que, tanto quanto possível, esteja definida atempadamente uma estratégia coerente e integrada, com uma clara definição de competências e dos meios atuantes no terreno na fase de prevenção e de combate aos fogos florestais, um flagelo, que no quadro das alterações climáticas, tem devastado, em particular nos anos mais recente, povoações, valores naturais e habitats com elevado estatuto de proteção, feito centenas de vítimas humanas e não-humanas.

Em 2019, de acordo o último relatório do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), que disponibiliza ainda apenas os dados provisórios  – os quais ficam aquém dos números da GNR -, entre 1 de janeiro e 16 de outubro do ano passado, registaram-se 10.841 incêndios rurais que resultaram em 41.622 hectares (ha) de área ardida.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome