Barreiro

Oposição no Barreiro critica falta de apoios em âmbito de covid19

- publicidade -

Na reunião camarária desta tarde, os vereadores da oposição criticaram a falta de iniciativas da autarquia na informação às populações mais vulneráveis relativamente ao covid19.

O vereador Bruno Vitorino (PSD) alertou para o facto de que “as pessoas mais desprotegidas em relação ao covid19 são as que têm menos acesso à informação e menos meios financeiros, moradores muitos em bairros sociais mais complicados e oriundos de meios mais desfavoráveis. São pessoas que não terão meios para mudar mais vezes de máscara de proteção, saber usá-la, etc. e temos de ter, enquanto Câmara Municipal, um plano de formação à semelhança de muitos municípios.

No Barreiro não estamos a fazer o que devíamos em relação a esse público-alvo e tenho vindo a alertar há meses para isto: quando o problema do covid-19 chegar a determinados bairros, dificilmente de lá sai. Gostaria de ver um bocadinho mais de ação e não tem havido. Até poderia não resultar em muito, mas teríamos a consciência tranquila.”

A vereadora Apolónia Teixeira (CDU) lembrou que o “Governo determinou que todo o processo de acompanhamento do covid19 passasse do nível macro para um nível micro, transferindo-o para as câmaras. É altura de o concelho do Barreiro fazer uma reflexão muito séria sobre o que fazer a nível local nesta lógica de prevenir para conter.”

Também a vereadora comunista frisou a falta de acesso à informação e aos meios de prevenção de algumas comunidades no concelho. “O executivo tem obrigação, envolvendo todos os parceiros, de fazer um diagnóstico dos sectores problemáticos e das populações em risco, porque só se pode agir com conhecimento real da situação” e frisou a necessidade de a autarquia entregar equipamentos de segurança “a quem não tem meios de os adquirir”.

Outra questão levantada nesta reunião foi levantada pelo vereador Rui Lopo (CDU), que criticou a Câmara Municipal por ter realizado um ajuste directo com uma empresa de Guimarães, para recuperação de mobiliário urbano, o que levou o vereador Rui Braga (PS) a frisar que “não há qualquer obra a decorrer no Barreiro que não tenham cumprido a lei. O tipo de discurso e de partilhas no Facebook e depois dá a entender que foram feitos ‘arranjinhos’ e de insinuações só lhe ficam mal, e pode ir procurar tudo na Base.gov, mas depois explique aos barreirenses que para as despesas acima de 75 mil euros, tem de ser feito um processo de consulta a empresas.

O que o vereador quer fazer, ao obrigar-me aqui a vir fazer um esclarecimento do que parece que não sabe, embora tenha sido vereador durante oito anos, é deturpar a informação e lançar um manto de suspeição para enganar os barreirenses. Da nossa parte, estamos completamente à vontade para esclarecer todos os processos, porque temos a convicção de estar a fazer o melhor para o Barreiro.”

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui