À Boa MesaInternacional

‘Old Lisbon’ serve take away português à comunidade em Miami

publicidade

Bolinhos de bacalhau, polvo grelhado, chouriço assado e o típico caldo verde, são alguns dos pratos que a equipa do ‘Old Lisbon’ confecciona “sobretudo agora para a comunidade brasileira em Miami”, explica ao Diário do Distrito o chef Carlos Gabriel Abreu.

O conceito dos restaurantes ‘Old Lisbon’ já reflectiam a tradição portuguesa, que foi reforçada com a entrada deste chefe em 2013, vindo da Aldeia de Paio Pires, Seixal, onde residia, e de um percurso na Marinha Portuguesa como cozinheiro do chefe do Estado-Maior da Armada.

Carlos Gabriel Abreu nasceu em Lisboa, cresceu na Ericeira, e a determinada altura rumou ao concelho do Seixal, tendo também trabalhado no Faia, restaurante de fados no Bairro Alto.

Umas férias em Miami levaram-no a conhecer o Old Lisbon, onde viria a trabalhar após conhecer o proprietário, Carlos Silva, que naquele estado americano recriou um cantinho bem lisboeta.

A pandemia de covid-19 veio agora alterar também o quotidiano deste restaurante, que se adaptou a servir comida ‘para fora’. “Aqui em Miami os restaurantes estão abertos para levar comida para fora, embora com medidas muito rígidas de controlo, em que só pode entrar um cliente de cada vez e é obrigatório o uso de máscaras e luvas por todos os empregados” explica Carlos Gabriel Abreu.

“E uma das opções foi confecionar bacalhau de várias maneiras para vendermos à comunidade brasileira, que é um dos maiores suportes da economia em Miami.”

A opção de take away “foi a forma de manter a empresa a funcionar, e as pessoas agradecem bastante o facto de estarmos abertos com essa opção, e assim conseguiu-se também manter os 60 empregados, quase todos eles portugueses”.

Equipa com proprietários Carlos Silva
Carlos Gabriel Abreu

Ler mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui