Opinião

O Pós Covid-19

É incrível como a nossa forma de viver, pensar, trabalhar e interagir mudou em um mês.

Durante a nossa curta passagem pela Terra, já enfrentámos muitas pandemias, como a Peste Negra, a epidemia da Cólera, a Gripe Espanhola, o HIV, o Ébola, entre muitas. Mas porque é que esta pandemia é diferente das outras? Que repercussões terá na nossa vida diária? A resposta a estas perguntas gera controvérsia, uma vez que não conseguimos prever o futuro, apenas especular.

A primeira grande alteração que iremos notar será consequência do impacto que este vírus terá, certamente, na economia mundial. O Covid-19, alterou por completo os padrões de consumo e o poder de compra das famílias. Estas alterações fizeram com que as Bolsas se desestabilizassem ao longo deste tempo de quarentena, promovendo um cenário de pânico e de incertezas.

Esta potencial crise que se avizinha, é uma crise sem precedentes. Nunca aconteceu algo parecido, é muitas vezes comparada com a crise pós-Segunda Guerra Mundial, quando as fábricas deixaram de produzir os seus produtos, de forma a fabricar tanques, aviões e muitos outros materiais bélicos. Com a Europa destruída, esta quase paralisação na produção, levou o mundo a uma das piores crises financeiras já vividas até ao momento. No entanto, para tentar minimizar esta crise, os Estados Unidos da América concederam empréstimos às nações mais afetadas pela destruição, de forma a relançarem a sua economia.

Tudo isto não passa de uma mera comparação. Os tempos são diferentes, a “Guerra do Corona” já afetou grande parte das maiores economias mundiais, como a China, os Estados Unidos da América e a EU (junção de todos os países da União Europeia).

Na realidade, só conseguimos prever que se avizinha uma crise, não conseguimos afirmar se será a maior que já vivemos, nem de que forma vamos recuperar.

A acontecer, o tipo de recessão pode ser diferente de acordo com a forma assumida pela curva de evolução do produto interno bruto. Poderá apresentar a forma de um V, significando uma recessão intensa, mas seguida de imediato por uma subida abruta; ou a forma de um U, simbolizando um grande e extenso período de recessão, extensão essa que dependerá de cada país e da sua situação pré-crise; ou, na pior das hipóteses, a forma de um W. Neste último caso iremos viver a maior crise de sempre, uma vez que a economia irá descer abruptamente e recuperar de imediato, mas de seguida irá sofrer uma recessão ainda mais intensa, e só depois voltará a recuperar. Será uma crise feita de fases de crescimento intercalares.

A forma como iremos recuperar desta potencial crise vai depender, quase totalmente, das medidas apresentadas pelos políticos.

A segunda grande alteração, que poderá acontecer num futuro próximo, será o surgimento e o reforço de ideias de extrema-direita e extrema-esquerda.

Esta alteração, favorecida pelas consequências socioeconómicas que se irão fazer sentir, leva-nos à inevitável comparação com o crash da bolsa de New York em 1929, que reforçou o Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães, mais conhecido como Partido Nazi. Graças a este reforço, o Partido alcançou a vitória nas eleições de 1933, sendo Adolf Hitler declarado Chanceler da Alemanha. Consequentemente, anos mais tarde, a Europa e o Mundo viram-se envolvidos numa guerra, que viria a ser a mais mortífera e devastadora que o mundo já testemunhara.

A possibilidade desta alteração no espectro político de alguns países, representa um enorme perigo para a população mundial.

Outra grande alteração que poderemos vir a presenciar é um reforço do nosso sentido de patriotismo.

Será que após esta pandemia, iremos dar e demonstrar o devido valor aos homens e mulheres que estão na linha da frente contra o Coronavírus? São pessoas com família e amigos, que colocam a sua vida em risco, de forma a proteger-nos. São médicos, enfermeiros, farmacêuticos, professores, militares, bombeiros, forças de segurança entre muitos outros.

Quando tudo acabar, talvez possamos dar-lhes o valor que merecem, dizendo-lhes “Obrigado!”. Mas não devemos fazer só isto. Devemos e podemos (enquanto Estado) proporcionar-lhes melhores garantias. É a única coisa que podemos fazer após arriscarem a sua própria vida pela nossa.

Em geral, esta pandemia do Covid-19 trará alterações profundas na Sociedade e na forma como vivemos. Iremos dar mais valor ao ambiente, à nossa família, a nós próprios e àqueles que nos protegem?

Como Winston Churchill uma vez disse “Never let a good crisis go to waste”, traduzido para português significa “Nunca se deve desperdiçar uma boa crise”.

Temos oportunidade de melhorar em vários aspetos. É hora de pôr “mãos à obra”!



Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito
Siga-nos no Feedly, carregue em seguir (follow)


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.