Barreiro

Núcleo Refood Barreiro inaugura novo centro de operações

publicidade

Os portugueses já provaram até à exaustão que são solidários, assim lhes seja apresentada uma forma de o fazerem. E se alguém sonha esse passo, depressa se chegam à frente os que o tornam uma realidade.

É assim que a rede Refood tem crescido em Portugal e chegou ao Barreiro. “Um email que recebi há pouco mais de um ano, para saber da hipótese de abrir aqui um núcleo, foi o que serviu para arrancar este projecto” referiu Hunter Halder, fundador do projecto Re-food, no âmbito da inauguração do novo espaço, na Rua 11, no Parque Industrial da Baía Tejo, que cedeu as instalações.

No novo espaço, a partir de segunda-feira, irão trabalhar os mais de cem voluntários que dão vida a este projecto de apoio aos mais carenciados e que pode conhecer e acompanhar na página do Facebook.

Hunter Halder deixou os seus agradecimentos aos parceiros “como a Câmara Municipal e a Baía do Tejo que ajudaram este 55.º núcleo da rede em Portugal e que prova que esta é uma comunidade cheia de boa vontade, que participa e se preocupa, e dá também o seu trabalho para isto seguir em frente”.

Em nome da Câmara Municipal do Barreiro, o vice-presidente Rui Braga frisou que “esta é uma iniciativa na qual temos um enorme orgulho em ser parceiros, a par com a Baía do Tejo, num projecto com voluntários barreirenses com um enorme coração, que assim dão uma resposta social que infelizmente ainda é necessária na nossa cidade e no país”.

O vereador agradeceu depois a todos e desejou “muita coragem para os dias que virão, porque nem sempre é fácil manter uma actividade com esta envergadura”.

 Um homem e uma bicicleta

Este podia ser o guião de um filme, não fosse a realidade a que Hunter Halder deu início no ano de 2011, depois da reviravolta que a sua vida sofreu em 2010.

“O que me levou a criar este projecto? Uma reflexão no caminho da vida de um homem que sempre trabalhou para si e que aos 55 anos de idade, ficou sem rendimentos e sem trabalho.”

É desta forma que explica ao Diário do Distrito o início deste projecto que arrancou em Lisboa com uma bicicleta e armado da boa vontade e solidariedade, “no Bairro do meu coração, quando reparei que havia muita gente que necessitava e muita coisa que se estragava”.

Foi assim que este americano começou em 2011 a recolher refeições que sobravam nos restaurantes e cafés do seu bairro, para depois distribuí-los pelas pessoas carenciadas na sua icónica bicicleta.

De um homem só, o projecto foi crescendo, contando neste momento com 60 núcleos em Portugal “55 activos e outros 5 ainda sem espaços físicos próprios, com este aqui no Barreiro a ser o mais recente ”, explicou Hunter Halder.

Além destes núcleos, existe 1 em Madrid, “já com voluntários, mas ainda sem centro de operações”, 3 em Itália, nas cidades de Milão, Palermo e Pádua, “e um na minha terra Natal, Richmond, Virgínia, com quem estive agora no Natal e que me deixou muito orgulhoso.

Também fui contactado por uma senhora para criar um núcleo em S. Salvador da Baía, e é assim que tudo começa, um contacto, uma rede de voluntários que se vai criando e nasce um núcleo Refood”.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui