Atualidadecoronavírus

Novos casos de covid19 sobem ‘em flecha’ na Europa

Número de novos casos e óbitos voltam a subir

- publicidade -

Os dados das últimas 24 horas relativos aos novos casos de covi19 por vários países da Europa, mostram um crescimento acentuado.

As autoridades espanholas anunciam mais 14 mil novos infetados e 90 mortos em 24 horas, com Madrid como centro da pandemia, o que vai levar a que a circulação passe a ter restrições à circulação em 37 zonas da cidade.

França registou novo recorde de infeções diárias desde o início da pandemia, com 13.498 novos casos confirmados em apenas 24 horas, elevando o acumulado de casos para 442.194 casos, segundo as autoridades de saúde francesas, citadas pelo The Guardian.

Mais 26 pessoas morreram (na sexta-feira foram contabilizadas 123 mortes), elevando o número total de óbitos para 31.274.

Itália também voltou a registar este sábado um aumento em novos casos e óbitos em apenas 24 horas, com mais 1.638 casos (ligeiramente abaixo dos números de sexta-feira, dia em que se assinalaram 1.907 casos), totalizando agora 296.569 casos positivos.

Neste período foram registados 24 óbitos, um número que mais do que dobrou em relação a sexta-feira, quando se sinalizaram 10 mortes.

O Reino Unido registou nas últimas 24 horas 4.422 novos casos, o maior aumento diário desde 8 de maio, mais 100 do que na sexta-feira, num total de 390.358 casos desde o início da pandemia.

Nas últimas 24 horas morreram mais 27 pessoas, elevando o número total de mortes para 41.759, embora os números publicados por agências de estatísticas do Reino Unido contabilizem, desde o início da pandemia, 57.500 mortes, com a Covid-19 a ser mencionada na certidão de óbito.

No caso da Alemanha, os números atingem máximos de Abril, com quase 2.300 novos casos e 6 mortes, segundo os dados hoje apresentados pelo Instituto Robert Koch.

O pico da pandemia ao nível de novas infeções no país ocorreu entre o final de março e o início de abril, quando foram notificados mais de 6.000 casos por dia, tendo os valores decrescido significativamente a partir de maio e junho, com os totais acumulados a superarem os 270.000 casos, dos quais resultaram 9.384 óbitos.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui