coronavírusDestaque

Novo confinamento vai durar um mês e será avaliado a cada quinzena

- publicidade -

A reunião «bastante viva e interessante» entre especialistas do Infarmed e membros do Governo terminou e António Costa já falou aos portugueses.

O primeiro-ministro admitiu «a tendência de crescimento efectivo da pandemia obriga a que esta semana tenhamos de adoptar medidas de confinamento geral, que terão como horizonte um mês e com um perfil muito semelhante ao que foi feito em Março e Abril.

Ao fim de uma quinzena, serão avaliados os resultados e poderemos aligeirar na segunda quinzena ou adoptar medidas mais rígidas, mas já sabemos que os dados alteram-se a cada momento.»

O confinamento obrigatório fica a dever-se, segundo António Costa «à fortíssima dinâmica de crescimento que é necessário travar e só pode ser feito com confinamentos.  

Não foram suficientes os confinamentos aos fins-de-semana e teremos de ir mais além.»

Sobre o funcionamento das escolas, o primeiro-ministro garantiu que «está fora de causa interromper actividades de avaliação, e segundo os especialistas, nada justifica o fecho das escolas para crianças até aos 12 anos.  

A dúvida e as divergências colocam-se para a faixa intermédia de alunos.»

O calendário a seguir é o Presidente da República que irá reunir com os diferentes partidos políticos e enviará o parecer que será debatido amanhã na Assembleia da República e o Conselho de Ministros irá deliberar sobre as medidas também esta quarta-feira.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui