Novas regras e lotação máxima vão marcar época balnear

Com o arranque da época balnear a 6 de Junho e com as medidas de segurança para evitar a propagação do covid-19, este ano o Verão vai ser diferente.

publicidadeGearbest Alfawise V8S Max UV Sterilization + Disinfectant Disinfection Wet and Dry Robot Vacuum Cleaner promotion
Tempo de Leitura: < 1 minuto

Com o arranque da época balnear a 6 de Junho e com as medidas de segurança para evitar a propagação do covid-19, este ano o Verão vai ser diferente.

A Agência Portuguesa do Ambiente publicou já a listagem com a capacidade das praias das regiões do Algarve e Tejo/Oeste, embora ainda não estejam disponíveis as relativas à zona ‘Alentejo’, que abrangem as praias de Setúbal e litoral alentejano, que segundo a APA serão publicadas «considerando as respectivas datas de abertura».

Relativamente à região Tejo/Oeste, depois da praia da Nazaré segue-se, com maior lotação, a praia da Fonte da Telha (I, II e III), no concelho de Almada, com uma capacidade de 14.500 utentes, e a praia de Carcavelos, no concelho de Cascais, com 12.100.

Todas as praias dos concelhos de Almada (excepto Almada -Norte) e de Sesimbra são avaliadas com a categoria de ‘Grandes’, o que significa que podem receber entre 700 pessoas (praia do CDS e Santo António da Caparica) até 9700/12200 (Santo António da Caparica).

Na região Sul, algumas das praias a praia dos Galapinhos poderá receber entre 200 a 300 pessoas, dependendo da maré, a praia da Comporta poderá receber 2000 banhistas, tal como a praia de São Torpes, em Sines. A praia da Zambujeira do Mar poderá ter em simultâneo 500 pessoas.

Na listagem a praia da Nazaré, no distrito de Leiria, apresenta-se como a que tem uma capacidade potencial de ocupação até 17.100 utentes, durante a época balnear, e outras seis são assinaladas com ‘eventuais problemas de lotação’.

«Estas capacidades são um importante auxiliar para a gestão e utilização segura das praias, pois é a partir destes valores que pode ser dada informação – ao cidadão e às autoridades – de modo a direcionar os devidos comportamentos, de uma forma responsável» adianta a APA em comunicado.

A APA usou um conjunto de critérios para definir a área de areal utilizável, considerando as características biofísicas e faixas de salvaguarda ao risco costeiro, tendo como referência o limite lateral das praias já definido.

Nas listagens divulgadas, a Agência Portuguesa do Ambiente indica “potenciais problemas de lotação” nas praias de Quarteira (concelho de Loulé), de Faro (Faro), de Monte Gordo (Vila Real de Santo António), de Armação de Pêra (Silves), de Armação de Pêra/Pescadores (Silves) e da Rocha (Portimão).

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome