AtualidadeMobilidade

Novas matrículas? Nem todas são legais

publicidade

A alteração da matrícula do seu veículo para os novos modelos pode parecer algo ‘fixe’, para dar um ar mais novo à viatura, mas tem de ter muito cuidado na altura de comprar a nova matrícula, porque nem todas são legais e pode ver-se a braços com uma multa até 600 euros.

O subintendente Virgílio Sá, do departamento de operações da direção nacional da PSP, explicou à TSF que nem sempre as regras são cumpridas por quem vende e instala as chapas, mas embora a responsabilidade recaia sobre estes, o proprietário tem o dever de verificar se está tudo conforme a lei, uma vez que a coima recai sobre este.

Se o condutor recorrer a um fabricante que não cumpre as regras corre o risco de ser autuado e o valor das coimas vai de 120 euros a 600 euros.

Pelos dados da PSP, até julho foram multados 1405 condutores e a maior parte das infrações foram cometidas nos distritos de Setúbal, Lisboa, Porto, Faro e Évora.

Pormenores a ter atenção

O fabricante tem de ter licença do IMT – Instituto da Mobilidade e dos Transportes para fazer as chapas de matrícula e todas as chapas têm de ter uma marca de homologação.

Depois é tomar atenção sobre o facto dos números ou letras já não serem visíveis, o espaçamento entre letras e carateres não ser o que está definido ou o material não ser retrorrefletor, impossibilitando a sua visualização.

Há também quem retire apenas os espaços da matrícula original, ou colocam os carateres na chapa de matrícula à esquerda, outros da direita para a esquerda, esquecendo-se que os carateres devem ser outros do meio para os extremos.

O subintendente da PSP explica ainda que o espaço que vai ficar ocupado dentro da chapa de matrícula é variável, depende da letra. O “W” ocupa mais espaço que o “I” por exemplo.

As chapas de matrícula têm de apresentar os números e letras bem centrados, vertical e horizontalmente, e o espaçamento é feito do centro para os extremos, pelo que os condutores devem verificar se o distanciamento entre letras e carateres está de acordo com as regras.

A distância entre grupos de letras é de dois centímetros e a distância entre carateres é de um centímetro, a contar do centro para os extremos.

Nas novas matrículas foi eliminado o ano e o mês de fabrico do veículo e deixou de haver os traços de separação entre os grupos de letras ou números, sendo as novas matrículas constituídas por dois grupos de letras e um grupo de algarismos no centro.

Segundo o Instituto da Mobilidade e dos Transportes, desde 3 de março, o número de matrículas no novo formato emitidas para veículos ligeiros importados e novos já ultrapassa as 105 mil.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui