Noite no Castelo em Sesimbra

O evento 'Noite no Castelo de Sesimbra' por quem o vivenciou. Críticas positivas e algumas menos positivas para um evento que animou a noite de Sesimbra.

0
478
Tempo de Leitura: 3 minutos

Caros(as) leitores(as) a noite se Sábado realizou-se mais uma festa dos anos 80 no castelo de Sesimbra organizado pela empresa WE EVENT. Como já tinha sido anunciado o evento através do FACEBOOK comprei com a devida antecedência no Seixal.

Agora vou explicar-vos como decorreu a festa os pontos fortes e fracos da mesma na minha opinião. A festa encontrava-se anunciada para começar às 22:00, assim sendo jantei na companhia de outros convidados em Sesimbra e às 21:50 estava a chegar ao castelo. E ainda bem que cheguei cedo pois pude estacionar dentro da muralha.

O ponto que todos nós sabemos é que estes eventos nunca, ou muito raramente começam à hora marcada. Normalmente há um atraso de cerca de 10 a 30 minutos. Ora o evento arrancou com um atraso de 1 hora e 43 minutos. Ainda pude ver os funcionários a encher balões com um compressor a reunião final para todo o Staff (assistentes de recinto ou seguranças e barmans e barmaids).

Quando lá cheguei sentei-me num zona de sofás à esquerda do palco. Qual não é o meu espanto quando a festa está a começar um indivíduo com as credenciais da empresa manda-nos (a mim e aos meus convidados retirarmos-mos da referida zona alegando que a mesma era zona VIP. E que se quisesse poderia ir para o exterior da tenda que havia cadeiras e mesas para estar.

Nós saímos e viemos ao exterior fomos fumar um cigarro. Finalmente os bares começam a abrir e lá fomos ao bar onde nos serviram as bebidas. De salientar que o bilhete não era de todo caro uma vez que houve vários estágios de vendas:

1º – 12 Euros / com uma bebida

2º – 15 Euros / com uma bebida

3º – 18 Euros / com uma bebida

O lote de bebidas alcoólicas para a noite para quem queria gastar as senhas não era muito variado gin BEEFTEAR; CAIPIRINHA; whisky JAMESON; e cerveja HEINEKEN.

Felizmente havia também bebidas “premium” e para quem gostar de gim tínhamos um balcão no exterior da tenda com gin TANKEWAY de 10 ANOS também a novidade gim TANKEWAY SEVILA com um aroma de laranja que me foi servido por uma equipa de bar trajada com o avental da marca.

Fica a nota positiva para a simpatia e profissionalismo dos mesmos.

Com relação aos restantes membros dos bares nada de negativo a apontar não ficam atrás de qualquer bar de uma grande discoteca de Lisboa ou do Porto. Rápidos e simpáticos QB a atender.

Mais tarde cheguei à conversa com o responsável pela festa sobre o incidente do local denominado “ZONA VIP”. Às minhas questões de o porquê que não poderia ter estado naquela zona (que mais tarde já estava vedada com seguranças). Foi-me respondido primeiro que era uma zona VIP. Ao que eu inquiri que não tendo havido a venda de bilhetes VIP, tal argumento era injustificado. Foi-me então dito que a mesma era reservada para o MAIN SPONSER. Ao que eu pedi que me disse-se o que isso queria dizer em português. E o senhor diz-me que a mesma era então para o principal patrocinador que iria trazer bastante gente com ele.

Mas que se quisesse aceder à mesma bastar-me-ia adquirir uma garrafa no valor de 200 euros que já poderia lá colocar 4 pessoas (eu incluído). Sinceramente fiquei sem saber qual dos argumentos era o verdadeiro. No final despedimos-mos, não sem eu informar que iria escrever a critica do evento para este jornal.

Ao me respondeu: “O SENHOR PODE FAZER A PIOR CRITICA QUE QUISER”. Obviamente que tudo isto foi numa conversa tensa da parte dele mas com um sorriso no rosto. Mas agradeceu tê-lo ouvido.

Obviamente que fui várias vezes a noite verificar se o “LOCAL VIP” já teria ocupação mas a Cinha Jardim; Lili Caneças Santana Lopes e companhia tinham declinado aparecer. Assim como o MAIN SPONCER. Paciência . . .

O evento pode contar também com o espaço do café do castelo que esteve pronto e apetrechado para poder servir o café e matar a fome aos noctívagos desta festa com as habituais boas bifanas e cachorros quentes.

Houve também a possibilidade de quem quisesse fazer pinturas faciais (pago à parte) Ai tivemos duas profissionais cheias de simpatia e à vontade que até me deixaram entrar na barraca das pinturas e tomar notas. Ora as pinturas faciais muito bem executadas eram compostas por motivos florais nas cores florescentes em tons: rosa; amarelo; verde e branco para sobressair com a luz negra da pista. Havendo também a possibilidade de usar aplicações de brilhantes a imitar pedras preciosas.

Passando à música agora propriamente, a mesma esteve a cargo de 2 Disck Jockeys o DJ PAULO TRINDADE e o VDJ MAX. Apesar dos HIT’s passados no alinhamento e com o apoio de um bom sistema de vídeo, o alinhamento não foi bem conseguido nem particularmente entusiasmante. Mas cumpriu os mínimos olímpicos.

Quanto ao público a média de idades situava-se entre os 20 e os 55 anos. Entre os saudosistas como eu e os mais jovens que vieram descobrir o andamento dos anos 80. Esteve um publico divertido e bem-comportado. A passar a noite de forma serena e descontraída sem qualquer caso a registar. 5 estrelas para o público.

Havia também uma plataforma em frente ao palco para se poder dançar mas não estava infelizmente aberta ao público. Faltaram as bolas de espelhos.

Ao nível de tudo o resto a segurança esteve óptima, inclusive a organização arranjou um mini-autocarro para transportar as pessoas dos lugares onde tinham estacionado e o castelo.

NOTA FINAL: Uma festa agradável mas com alguns pontos a rever. E não menção à existência um livro de reclamações.

 

Samuel Marques

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome