DestaquePaís

NACIONAL – Angola apresenta protesto diplomático sobre acontecimento no Bairro da Jamaica

publicidade

A intervenção da PSP no Bairro da Jamaica, Seixal, já fez com que o Governo de Angola envia-se um protesto diplomático ao governo português. A PSP deteve um indivíduo angolano residente em Portugal, por atirar pedras à chegada da polícia.

Já chegou ao gabinete de António Costa o protesto diplomático enviado pelo governo de Luanda, na sequência dos confrontos entre agentes da PSP e moradores do Bairro da Jamaica, no Seixal, uma operação que fez uma detenção de vários feridos, entre moradores e elementos da PSP.

A Rádio Nacional de Angola (RNA) dá conta esta terça-feira do protesto diplomático enviado de Luanda para Portugal, revelando que a origem do documento foi motivado pelo vídeo que circula nas redes social e dá conta dos confrontos entre os moradores e polícias. Vídeo esse que motivou a uma queixa de racismo no Ministério Público, apresentado pela associação SOS Racismo.

O detido está acusado de atirar uma pedra a um agente da PSP, que ficou ferido. Hortêncio Coxi, afirma estar inocente e de não ter atirado pedras, acusa ainda os elementos da PSP de o terem agredido já na esquadra.

A PSP já fez saber que abriu um inquérito sobre os confrontos, fonte ligada àquela força de segurança adiantou que os “elementos da PSP foram recebidos com um arremesso de pedras, após uma chamada devido a uma desavença entre moradores que ocorreu depois de uma festa de aniversário”, testemunhos de outros moradores afirmam que as agressões foram iniciadas pelos agentes à sua chegada.

O Diário do Distrito sabe que está prevista para amanhã uma manifestação dos moradores junto à Câmara Municipal do Seixal, onde vão exigir a intervenção do Município junto das autoridades.

Ler mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios. Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site