ReportagemSeixal

Município garante que descargas de esgoto no Fogueteiro estão a ser monitorizadas

publicidade

Na passada semana algumas fotos e vídeos foram partilhadas nas redes sociais e enviadas ao Diário do Distrito, e mostravam um ramal de esgoto a céu aberto, em zona ajardinada no Fogueteiro, Amora.  

Deslocámo-nos ao local, entre a NAC10 e a Rua Santo Condestável, e verificámos a situação de vazamento e um cheiro nauseabundo.

“Isto está assim há dias” referiu um morador local que aproveitava o bom tempo para se sentar sob a aprazível sombra. “Gosto de vir para aqui, mas há dias que não é possível aguentar com o cheiro”, lamentou João Franco.

Num outro banco, outras pessoas reparavam nas fotos que iam sendo tiradas, e lançaram “tire mais fotos e envie para a Câmara Municipal para verem esta miséria aqui no meio do jardim”.

Quando questionámos se era habitual a situação, a resposta foi pronta: “está assim quase sempre e com o calor não se pode com o cheiro”.

O Diário do Distrito contactou a Câmara Municipal do Seixal para obter esclarecimento sobre a situação, recebendo esta segunda-feira a resposta com a explicação de que «uma rede de saneamento de águas residuais domésticas é constituída por caixas e coletores que recebem e encaminham os resíduos para as estações de tratamento de águas residuais (ETAR).

No quadro do funcionamento regular das redes, este é o percurso que os resíduos tomam. Quando existem anomalias de funcionamento na rede, que por vezes correspondem a entupimentos (resultantes na grande maioria das vezes por deposição indevida de resíduos na rede – um exemplo com expressão são as toalhitas), dependendo da sua dimensão podem ocorrer retornos que, quando interligados com a rede pluvial, atingem as linhas de água.»

Segundo a autarquia «caso não ocorressem estas descargas, consideradas não programadas e de emergência, o retorno do efluente poderia ocorrer no interior das habitações, com todos os efeitos indesejáveis para os ocupantes.

A regularidade do funcionamento dos sistemas de drenagem passa pela intervenção do Piquete de Saneamento que está disponível durante 24 horas.»

Ficou ainda a garantia por parte do município de que «o local identificado está a ser monitorizado pelos serviços técnicos da Câmara, por forma a avaliar a eventual necessidade de introdução de medidas que minimizem os cenários de entupimentos.

Contudo, sem a sensibilização de todos, para o uso adequado da rede de esgotos, será muito difícil conseguir o regular funcionamento das redes sem a existência de constrangimentos.»

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui