AlmadaJustiça

MP deduziu acusação contra quatro assaltantes em restaurante na Charneca da Caparica

- publicidade -

O Ministério Público de Almada deduziu acusação a quatro arguidos pela prática de um crime de roubo agravado, com recurso a arma de fogo e de um crime de detenção de arma proibida, sendo um destes arguidos ainda acusado de um crime de condução sem habilitação legal.

O assalto teve lugar a 4 de Junho deste ano, num restaurante em Vale Cavala, Charneca da Caparica, Almada.

Segundo a acusação a que o Diário do Distrito teve acesso, «dois arguidos dirigiram-se a um restaurante encapuzados e empunhando armas de fogo, uma das quais municiada e pronta a disparar, enquanto um outro ficava de vigia no carro.

Uma vez no interior, acercaram-se do ofendido, que trazia consigo uma mala vulgo “top case” do motociclo, apontaram-lhe para a zona do peito uma das armas e ordenaram-lhe que se deitasse.

Perante a hesitação da vítima, um deles atingiu-o na cabeça com a coronha da arma que trazia consigo e exigiu-lhe que largasse a mala, a qual continha no seu interior, documentação pessoal e 50 mil euros em dinheiro, o que a vítima, por receio acatou, colocando-se de seguida em fuga.»

No mesmo dia do assalto, militares da GNR dos postos territoriais da Charneca da Caparica, da Costa da Caparica, da Trafaria e do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Almada, conseguiram detectar e deter três homens de 25, 26 e 32 anos, por suspeita de terem efectuado o roubo, tendo sido aplicada aos três a medida de coação de prisão preventiva.

Na ação de detenção foram aprendidas 1 pistola de calibre 7,65 mm com o carregador municiado com duas munições; 1 espingarda automática de airsoft; 1 pistola de airsoft; 1 faca-do-mato; 1 passa-montanhas; 1 máscara de airsoft e 1 par de luvas.

A investigação foi dirigida pelo Ministério Público de Almada do DIAP da Comarca de Lisboa.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui