Parceiros
AtualidadeDesportoFamosos

Morreu Maria Amélia Canossa, voz do hino do FC Porto

- publicidade -

Faleceu na passada terça-feira, Maria Amélia Canossa, a mulher que deu voz ao hino do FC Porto.

Aos 88 anos, partiu “em vésperas de se assinalarem sete décadas desde o lançamento dos acordes da vida de Maria Amélia Canossa e do FC Porto”, escreve o clube em comunicado.

A cantora gravou o hino do clube a 31 de março de 1952. Leia aqui o comunicado dos Dragões:

Voz do hino do FC Porto desapareceu esta terça-feira aos 88 anos

Morreu a mulher que deu voz ao hino do FC Porto. Maria Amélia Canossa faleceu esta terça-feira e deixou para trás um legado de 88 anos de amor ao azul e branco que culminou com a gravação do hino pela primeira vez no longínquo dia 31 de março de 1952.

Nascida no seio de uma família portista em outubro de 1933, a Princesa da Rádio começou a frequentar as bancadas do Campo da Constituição com apenas seis anos, pela mão do pai e do avô, em tempos bem diferentes da história do FC Porto. Pouco depois, ainda muito jovem, começou a colaborar com a Rádio Clube do Norte e deu início a uma carreira intrinsecamente ligada à grande paixão da sua vida.

No equador do século XX deu a cara e a voz nos espetáculos de angariação de fundos para a construção do Estádio das Antas – que tiveram lugar na nave central do Palácio de Cristal – e foi aí que germinou a Marcha do FC Porto, de que também é intérprete. O ex-líbris do seu repertório musical viria a surgir praticamente de imediato.

Numa entrevista concedida em 2009 levantou o véu sobre o nascimento de uma obra-prima: “Queria um hino que, aos primeiros acordes, fosse um hino vencedor. Que até os jogadores, ao entrarem em campo, sentissem um impulso que lhes desse força e um hino que transbordasse poder”. Assim foi. 

Graças à preciosa colaboração do poeta Heitor Campos Monteiro e do compositor António Figueiredo e Melo, Maria Amélia Canossa estreou-se a entoar o hino do FC Porto com apenas 18 anos, em pleno Coliseu, e logo mereceu uma ovação de pé da plateia. Voltaria a cantar na inauguração das Antas, poucas semanas volvidas, para gáudio da multidão ali presente.

O sucesso da sua maior criação é tão grande que os anos passam e o hino mantém-se intacto. Em vésperas de se assinalarem sete décadas desde o lançamento dos acordes da vida de Maria Amélia Canossa e do FC Porto, a cantora desaparece para tristeza de todos aqueles que – como a própria – amam o clube.

Neste momento difícil para todos, o FC Porto solidariza-se com os familiares e amigos, endereçando-lhes as mais sentidas condolências.


Sondagem | Tem condições para acolher refugiados ucranianos em sua casa?
VOTE AQUI!
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito

Escreva um comentário