Parceiros
Mundo

Morre aos 58 anos, o realizador brasileiro Breno Silveira

O realizador não resistiu a um infarto fulminante.

- publicidade -

Morreu neste sábado (14), aos 58 anos, o realizador brasileiro Breno Silveira. A morte, registrada no interior de Pernambuco, foi em decorrência de um infarto fulminante. Breno filmava no município de Vicência o longa “Dona Vitória”, que tem como atriz principal Fernanda Montenegro. A morte foi confirmada, via redes sociais, pela Conspiração Filmes, da qual o cineasta era sócio. 

O realizador sentiu-se mal pela manhã, quando apresentou uma taquicardia e foi levado para o único hospital da região, onde morreu às 10h45. O corpo seguiu para o Rio de Janeiro, onde será o funeral do realizador. Apesar de ter nascido em Brasília, nos últimos anos, Breno morava com a família na capital fluminense.

Em nota, a Conspiração Filmes cita o realizador como um dos mais brilhantes realizadores do cinema brasileiro:

“Nos seus projetos, Breno Silveira sempre imprimiu sua busca incansável pela excelência e soube, como poucos, usar a força do seu olhar para retratar o Brasil”. 

Silveira foi o realizador do filme “Dois filhos de Francisco: a História de Zezé di Camago e Luciano”, que se tornou a maior bilheteira da chamada retomada do cinema nacional brasileiro à época do seu lançamento, além de ter sido representante brasileiro ao Óscar na categoria de Melhor Filme Estrangeiro (hoje Melhor Filme Internacional). “Gonzaga: De Pai para Filho”, outro clássico dirigido por Breno, alcançou mais de 1,5 milhão de espectadores nos cinemas e foi vencedor de três categorias do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, incluindo a de melhor filme.

Os filmes de Silveira foram exibidos em festivais em Toronto, Havana e Monte Carlo. Também se destacou pelo seu trabalho para a TV. A sua série “1 Contra Todos” foi a brasileira que mais nomeações recebeu para o Emmy internacional.

Ele deixa a esposa, Paula Fiuza, e duas filhas, Olívia e Valentina.

Percurso profissional

Breno começou no cinema como diretor de fotografia. A sua primeira participação marcante foi no longa-metragem “Carlota Joaquina”, lançado em 1995, de Carla Camurati. Também foi diretor de fotografia de “Eu, Tu, Eles”, de Andrucha Waddington, trabalho que lhe deu o título de melhor fotografia no Grande Prêmio Cinema Brasil 2000.

O realizador formou-se na Escola Louis Lumière de Paris e chegou a realizar várias campanhas publicitárias para a televisão. Na realização de um longa-metragem, Breno estreou em 2005, no filme “Dois filhos de Francisco”, que conta a história de infância até o sucesso nacional da dupla Zezé di Camargo e Luciano.

Em seguida, realizou o filme Gonzaga: De Pai pra Filho”,que conta a história de vida de Luiz Gonzaga e do filho, Gonzaguinha. Em 2021, Silveira lançou a série “Dom”, inspirada nas invasões de prédios feitas por uma gangue do Rio de Janeiro. A trama acompanha Pedro Dom, um jovem de classe média e dependente químico que entra para o crime.


Sondagem | Tem condições para acolher refugiados ucranianos em sua casa?
VOTE AQUI!
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito

Escreva um comentário