Parceiros
País

MONTIJO – Automóveis da Autoeuropa na BA6

O Montijo tem sido notícia nos últimos anos devido ao projecto da extensão do novo aeroporto de Lisboa na Base Aérea N.º 6, mas antes da possível instalação no local deste equipamento, o espaço vai servir como depósito de automóveis da fábrica da Autoeuropa.

Em causa estão as novas regras de emissões obrigatórias pela norma europeia Worldwide Harmonized Light Vehicles Test Procedure (WLTP) que vão entrar em vigor a 1 de Setembro e que está a levar as empresas a tomar medidas inéditas, o que levou o Grupo Volkswagen a alugar espaços de estacionamento em vários aeroportos na Alemanha para parquear milhares de veículos que só podem ser postos à venda quando forem homologados os novos motores pela entidade alemã responsável.

E o mesmo se passa em Portugal, com a Autoeuropa: sem espaço no parque interno, a fábrica de Palmela escolheu a Base Aérea do Montijo (BA6) para estacionar cerca de dez mil automóveis nas próximas semanas, apurou o DN/Dinheiro Vivo, uma situação confirmada ao jornal pela Força Aérea, através do seu porta-voz, tenente-coronel Manuel Costa.

Segundo ainda fonte oficial da fábrica de Palmela, foi assinado um protocolo com a Força Aérea «que dispõe de um espaço, que será disponibilizado para esse efeito, na Base Aérea n.º 6, no Montijo. A utilização desse espaço não afetará, em circunstância alguma, a operação e a segurança da base. Os termos de utilização foram formalizados na assinatura do protocolo entre ambas as entidades.»

A Base Aérea fica apenas a 25 quilómetros da Autoeuropa, um dos fatores determinantes para a escolha deste local que, tudo indica, será transformado nos próximos anos no futuro aeroporto do Montijo.

No entanto nenhum das entidades revela as contrapartidas, tendo em conta que a empresa de Palmela vai pagar pela utilização do espaço, que vai ser utilizado já nos próximos dias, numa altura em que a Autoeuropa está a reforçar a produção.

Depois de saírem da linha de montagem, os carros produzidos na fábrica ficam parados no parque interno e no porto de Setúbal, que também já não tem mais espaço para acomodar mais carros.

A norma europeia Worldwide Harmonized Light Vehicles Test Procedure (WLTP) vai conferir aos automóveis valores de consumos e de emissões poluentes mais realistas, o que poderá ter como resultado um agravamento dos preços atendendo à tabela fiscal de imposto sobre veículos (ISV), com incidência nas componentes de cilindrada e emissões de CO2.

As marcas de automóveis estão a fazer todos os esforços para que os novos veículos consigam obter os mesmos valores de emissões e assim evitar o agravamento dos preços de venda, consoante os mercados.



Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito
Siga-nos no Feedly, carreguem em seguir (follow)


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.