JustiçaMoita

Moita | Detidos após agressões a militares da GNR ficam com apresentações semanais

- publicidade -

Os dois homens, de 19 e 20 anos, que foram detidos pela GNR na Moita, após desacatos, foram presentes esta segunda-feira ao Tribunal do Barreiro, indiciados pelo Ministério Público da prática do crime de resistência e coação contra funcionário, três crimes de ameaças agravadas e um crime de roubo, na forma tentada.

«Os factos indiciam que quando os guardas chegaram ao local foram agredidos pelos dois arguidos e outras três suspeitas – que conseguiram fugir –, com socos na cara e na cabeça» indica a acusação a que o Diário do Distrito teve acesso.

«Um dos arguidos tentou ainda apoderar-se da arma de serviço de um dos militares da GNR.

Os arguidos acabaram por ser detidos pelos elementos da GNR, os quais foram alvo de ameaças, já depois da detenção dos arguidos.»

Na sequência das detenções, dois militares da GNR do Posto Territorial da Moita ficaram feridos sem gravidade, e já regressaram ao serviço, depois de terem sido avaliados no Hospital do Barreiro.

No interrogatório judicial, o Ministério Público requereu que os arguidos ficassem sujeitos a apresentações semanais na esquadra da PSP, medidas de coação aplicadas pelo Juiz de Instrução Criminal.

A investigação prossegue sob a direção do Ministério Público da Moita, coadjuvado pela GNR da Moita.

A detenção dos dois homens ocorreu na sequência de buscas domiciliárias que estavam a ser feitas a casa de outro homem, que havia sido detido horas antes, e que causou desacatos no Posto Territorial da Moita, devido à suspeita de este ter em casa armas de fogo ilegais.


Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *