Sesimbra

‘Menino de Deus’ naufragou há 25 anos

- publicidade -

Em Janeiro de 1995, o arrastão ‘Menino de Deus’ afundou-se em águas marroquinas, num mar ‘bravo’ arrastando para a morte 19 dos 20 tripulantes, a maioria residente em Sesimbra.

Apenas o contramestre, Joaquim Baptista, na altura um jovem, sobreviveu a um naufrágio cujos motivos nunca foram bem compreendidos, por ser o único que se encontrava acordado no momento que o navio se afundou.

Joaquim Batista tinha ido na viagem para substituir o mestre da embarcação que tinha ficado em Sesimbra por estar doente, e nunca mais voltou à faina do mar ou falou sobre o assunto.

Dias depois na Assembleia da República foram apresentados e aprovados votos de pesar apresentados por todos os partidos com assento no Parlamento.

Em 2014 a autarquia sesimbrense aprovou a designação toponímica de uma rua na freguesia de Santiago com a designação «Rua Menino de Deus», em memória dos pescadores que perderam a vida naquela embarcação.

Foram os seguintes os pescadores que faleceram neste naufrágio: Abel Saloio da Silva, Adriel Fernando da Costa Marques, Artur Chantre Faial, Fernando Manuel da Costa Vidal Amigo, Francisco Manuel Marques Farinha da Mata, João Francisco da Conceição Rasteiro, João Gomes, Joaquim Fernando Jacinto, Joaquim Francisco Costa Marques, José João Gomes Pinto, José Maria Baptista Quita, Luis Filipe Rodrigues Pinto Guerra, Manuel Alexandre Dias Pinto, Taklin Rosa, Manuel António Candeias Marreiros, Mário Rui Polido Ferreira, Paulo Jorge Amigo Ramos, Paulo Jorge Gomes Marreiros, Pedro Manuel da Rocha Pólvora, Rui Manuel da Conceição Silva e Victor António Pinhal Carapinha.

Reveja o debate com os candidatos à CM Alcochete

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo