Médico manda a ARS Alentejo “crescer e aparecer”

Médico que esteve ao serviço do SNS em Reguengos de Monsaraz relata ‘caos’ no lar onde aconteceu o surto de Covid-19 e diz que se não fossem as Forças Armadas o local onde estão os idosos ainda estava “imerso de muita confusão”

publicidadeGearbest Alfawise V8S Max UV Sterilization + Disinfectant Disinfection Wet and Dry Robot Vacuum Cleaner promotion
Tempo de Leitura: < 1 minuto

O médico António Branco esteve em Reguengos de Monsaraz ao serviço do SNS para ajudar no surto da Covid-19, foi o primeiro médico a chegar e diz que chegou ao monte do “Calvário”.

O profissional de saúde diz ainda que foi “ordenado” a ir de imediato para Reguengos acompanhado de um primeiro grupo de enfermeiros, deixou esta quarta-feira fortes criticas à ARS do Alentejo e um elogio aos que estiveram na linha da frente: “Aos valentes enfermeiros, que foram o corpo e alma dos cuidados que prestamos, e os que mais sofreram, sem outra compensação que não a do dever cumprido”.

O médico deixou ainda palavras sentidas aos médicos e enfermeiros das Forças Armadas: “Bem hajam, sem os quais o pavilhão multiusos do parque de feiras de Reguengos ainda estaria imerso em confusão”.

Os relatos chegam mesmo a ser marcantes e diz que ajudou a evitar mais mortes dando o seu melhor, mas não teria conseguido sem ajuda de todos os seus companheiros de jornada.

No fim deixa fortes críticas à Administração Regional de Saúde do Alentejo (ARSA) dizendo que “Para as mentes iluminadas que governam este país: Cresçam e Apareçam!”

 

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome