Opinião

MAYDAY!!! MAYDAY!!! MAYDAY!!!

- publicidade -

Olá caríssimos(as) esta semana o tema é aviação comercial.

Mas antes vamos fazer uma introdução por forma a explicar o título deste artigo, Mayday a palavra-código para emergências. É usada no mundo inteiro nas comunicações emitidas pelos tripulantes de aviões ou de navios, quando estão em situação de risco eminente. Faz parte do internacional de sinais e do código fonético internacional.

O termo “Mayday” não está relacionado com o mês de Maio (May, em inglês). A origem da palavra é o termo francês “venez m’aider”, que significa “socorra-me” em português ou “help me” em inglês. O autor da expressão foi Frederick Stanley Mockdorf, que criou o sinal de chamada nos anos 1920, quando era controlador aéreo no aeroporto, em Londres. E propôs a palavra “mayday”, que é pronunciada três vezes (mayday, mayday, mayday) para prevenir confusão com outras palavras com sonoridade similar.

MAYDAY 1
A SATA

A SATA (sociedade açoriana de transportes aéreos) é um grupo empresarial composto pela Sata Air Açores e a Sata internacional, com 12 aeronaves.

Esta empresa quase nunca apresentou lucros, a última vez terá sido em 2014 no valor de 543 mil euros. Algo que de grosso modo deve dar para cerca de meio dia de abastecimento para frota (12 aviões), isto porque um avião médio gasta diariamente cerca de 140 000 a 150 000 litros de combustível a fazer duas viagens de longa distância.

As contas são fáceis de fazer: um galão US equivale a 3,8 litros. A última cotação do combustível para aviação estava em cerca de 1 Euro por galão. Ora se a SATA tivesse um Airbus A 380 na sua frota a fazer três viagens só aí ira gastar em combustível 532 000. Então e o resto da despesa? Custos com pessoal e manutenção? E o parqueamento das aeronaves nos aeroportos? E os restantes custos de fornecedores?

Pois caro(a) leitor(a) é aí que você entra. E entra com o IVA que paga mais IMI; IRS; ISCV e outras taxas e taxinhas. Ou seja, você anda à uma data de tempo a sustentar uma companhia aérea que é um buraco negro. E agora se lhe juntar a TAP passa a ter 2.

Só para lembrar que entre 2018 e 2019 a SATA somou cerca de 106 ME de prejuízo.

É só saber fazer contas.

https://www.indexmundi.com/pt/pre%C3%A7os-de-mercado/?mercadoria=combust%C3%ADvel-de-jato&moeda=eur
https://visao.sapo.pt/atualidade/economia/2020-05-29-grupo-sata-fechou-2019-com-prejuizos-de-53-me-valor-semelhante-ao-ano-anterior/

MAYDAY 2
A TAP

A TAP, a velhinha TAP. Esta empresa é uma das heranças que o estado novo de Salazar nos deixou.

- publicidade -

Fundada a 14 de março de 1945 com uma frota inicial de DC-3 militares adaptados para aviação civil. Uma empresa que surgiu numa altura em que a teoria na aviação é que os países deveriam ter sempre uma companhia de bandeira de capital público.

A secção de transportes aéreos (era assim que se chamava) fica sob a direcção de Humberto Delgado. Melhor ou pior, com melhores ou piores resultados operacionais, a TAP chegou ao séc XXI.

As coisas até poderiam ter corrido bem se não tivesse havido a ideia peregrina de comprar a empresa de manutenção da antiga e entretanto desaparecida VARIG, empresa que desapareceu mais ou menos na mesma altura que a TWA e a PANAM; SABENA; SUISS AIR e outras.

A verdade é que o advento das low-cost, o mercado para as velhas e tradicionais companhias de aviação com custos operacionais altos desapareceu. Voar deixou de ser um produto para elites e passou a ser como apanhar um simples autocarro.

O 11 de Setembro veio dificultar ainda mais as coisas. E o COVID-19 foi mais um prego no caixão

Portanto a TAP navega na tempestade perfeita. Menos mercado e custos operacionais que não podem ser cobertos. Se a TAP se tivesse mantido privada como Pedro Passos Coelho deixou, nesta altura já se teria reestruturado e talvez pudesse sobreviver sem grandes perdas.

Mas não.

Catarina Martins e Jerónimo de Sousa quiseram uma TAP pública. António Costa anuiu. E nós andamos a pagar prejuízo a trás de prejuízo. Este ano até Julho já vamos pagar com os nossos impostos 606 milhões e fora os prejuízos dos anos atrasados. É caso para dizer paga Zé. E não bufa. Afinal votaste nesta marmelada.

Ainda por cima o INE (instituto nacional de estatística) anda a ver se consegue meter só no próximo ano o prejuízo da TAP para não piorar o deficit orçamental este ano. MAYDAY vamos espetar-nos outra vêz contra o chão.

https://www.dinheirovivo.pt/aviacao/pandemia-leva-tap-a-prejuizo-recorde-de-606-milhoes-ate-junho/

MAYDAY – 3
AEROABORTO NO MONTIJO

Não é preciso ser-se nenhum génio de engenharia para perceber que estamos a ver um desastre eminente. Quer a nível ambientar que operacional. O aeroporto no Montijo vai ser uma solução que não é solução coisa nenhuma. É um remendo um atamanco. Não vai ter espaço para crescer. Nem a nível de pista. Pois já estão a pensar que para a mesma ser operacionalmente exequível terá de se roubar ao Tejo 300 metros.

Depois quem é que são as companhias aéreas que estão interessadas em operar a partir daquele apeadeiro? Até agora nem uma manifestou interesse.

A Associação de Pilotos de Linha Aérea já veio explicar por A + B porquê está contra.

As condicionantes ambientais e de segurança para se operar o aeroporto no Montijo são monumentais.

Depois a BA-6 está em leito de cheia. Ora a menos que o Costa esteja interessado em operar Canadairs não vejo outra alternativa para o Montijo. Quando as águas subirem o aeroporto ficará inoperacional.

Se por acaso houver uma avaria grave num avião, o mesmo vai despenhar-se quase de certeza no Barreiro ou na Baixa da Banheira.

Só alguém muito idiota, ou com ideias de querer ser uma cópia barata de um Marquês de Pombal continua a insistir nisto.

O aeroporto no Montijo está para o Costa como o TGV esteve para José Sócrates. Trata-se de uma fuga para a frente. Costa sabe que para ficar na história como possível estadista. Coisa que nunca foi nem tem capacidade para isso.

O homem não passa de um ilusionista. A sorte de todos nós aqui na margem sul é que a Câmara Municipal da Moita por motivos mais que óbvios acompanhada da Câmara do Seixal decidiram votar contra no parecer vinculativo.

Um destes dias ainda vamos descobrir que alguém no Montijo andou a comprar terrenos à pazada.

Eu poderia escrever mais sobre o tema. Mas acho que basta ler o que já foi publicado.

https://expresso.pt/politica/2020-07-15-Todos-contra-o-novo-aeroporto-do-Montijo.-Bloqueio-permanece
https://www.publico.pt/2020/09/16/sociedade/noticia/bracodeferro-aeroporto-montijo-nao-acaba-nova-queixa-seguiu-convencao-berna-1931677
https://www.dn.pt/pais/escolha-de-aeroporto-no-motijo-nao-e-a-desejavel—companhias-areas–10966921.html
https://www.dinheirovivo.pt/economia/nenhuma-base-aerea-e-alternativa-ao-aeroporto-da-portela-diz-presidente-de-associacao-de-pilotos/

Bom hoje ficamos por aqui. Em breve teremos mais. Até porque os vossos impostos terão que servir para pagar a SATA; TAP e a maluquice do Montijo. E mais outras coisas que vão surgir.

Artigo escrito segundo a antiga grafia.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui