Margem Sul

Esta semana um artigo de Opinião de Diogo Prates, coordenador do Iniciativa Liberal em Setúbal.

publicidadeGearbest Alfawise V8S Max UV Sterilization + Disinfectant Disinfection Wet and Dry Robot Vacuum Cleaner promotion
Tempo de Leitura: 2 minutos

Nas últimas semanas o distrito de Setúbal tem estado na ordem do dia, infelizmente nem sempre pelas melhores razões.

Primeiro a discussão à volta do aeroporto do Montijo, depois o fecho da urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta no período nocturno e mais recentemente as dragagens no rio Sado.

Como cabeça de lista da Iniciativa Liberal nas últimas eleições pelo distrito de Setúbal e coordenador do partido no distrito, acredito que podemos e devemos ter algo a dizer sobre estas temáticas:

– Aeroporto do Montijo: neste caso, a Agência Portuguesa do Ambiente emitiu um parecer “favorável condicionado”, viabilizando o projecto. Porém continua a não ser consensual, segundo o antigo presidente do Laboratório Nacional de Engenharia Civil, Carlos Ramos: “A escolha do Montijo não é mais barata, não demora menos tempo a construir e tem algumas limitações que não teria a construção do novo aeroporto no campo de tiro de Alcochete”.

Acreditamos que o aeroporto de Beja tem todas as condições para funcionar em pleno e que deveria ser melhor aproveitado. A região de Setúbal precisa de outro tipo de investimento público como por exemplo o Hospital do Seixal tantas vezes adiado.

– Fecho urgência pediátrica do HGO: defendemos que as famílias do distrito não podem continuar à mercê das cativações de Mário Centeno, uma “ADSE para todos” como defendemos durante a campanha eleitoral daria a liberdade de escolha na saúde de que tanto precisamos.

– Dragagens no Sado: esta questão tem duas vertentes, a técnica e a política, caberá aos técnicos do Porto de Setúbal sinalizarem a importância das dragagens para que navios de maiores dimensões possam atracar, cabe ao poder político acionar todos os mecanismos para verificar se estas são de factos necessárias, proceder ao respectivo estudo de impacte ambiental e promover uma discussão pública o mais alargada possível, em que todos sejam esclarecidos.

Aquilo que se passa é que tanto a administração do Porto de Setúbal como a Câmara Municipal de Setúbal actuam como se o rio fosse deles e não devessem explicações a ninguém, exemplo disso foi a sessão “pública” que ocorreu na Câmara de Setúbal sem a presença da presidente, e onde por estarem tantos funcionários da Câmara Municipal, aqueles que quiserem assistir não o poderam fazer.   https://www.cmjornal.pt/portugal/cidades/detalhe/protestos-na-camara-de-setubal-por-causa-das-dragagens-no-sado. É revelador também que a Presidente da Câmara, Maria das Dores Meira, foi eleita pelo PCP, partido que agora vota contra as Esta semana um artigo de Opinião de Diogo Prates, coordenador do Iniciativa Liberal em Setúbal.

Embora estes assuntos estejam na ordem do dia, existem outros que aqui gostava de mencionar. Em 2015 Setúbal e o Seixal apresentavam as maiores taxas de abandono escolar https://ionline.sapo.pt/artigo/490377/set-bal-seixal-e-faro-sao-os-campeoes-da-retencao-e-abandono?seccao=Portugal, no 12º a taxa era de 44% em Setúbal e 43% no Seixal, os piores concelhos do país.

Não podemos desenvolver uma região nem ambicionar melhores condições de vida para a população, com taxas de abandono escolar tão elevadas. É necessário que a “paixão pela educação” passe das palavras aos actos.

Depois de 40 anos de Socialismo e Comunismo é isto que temos, pobreza https://www.dn.pt/pais/estudo-mostra-que-peninsula-de-setubal-e-a-quarta-regiao-mais-pobre-do-pais-9586579.html, abandono escolar, impostos altos https://www.diariodaregiao.pt/regional/2019/11/08/executivo-cdu-mantem-imi-na-taxa-maxima-e-oposicao-protesta/ e serviços públicos em ruptura. Acreditamos que o distrito de Setúbal tem tudo para ser dos mais desenvolvidos do país, temos a obrigação de lutar por um distrito que crie mais oportunidades para todos. É isso que vamos fazer.

 

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome