Parceiros
AtualidadeMundoPolíticaSociedade

Macron quer explícito o “direito ao aborto” na Carta de Direitos Fundamentais

- publicidade -

O Presidente francês, Emmanuel Macron, apresentou hoje no Parlamento Europeu as prioridades da presidência francesa do Conselho da União Europeia (UE).

Macron disse que quer “o reconhecimento do direito ao aborto” explícito na Carta dos Direitos Fundamentais da UE, proclamada em dezembro de 2000.

As declarações do Presidente francês surgem um dia depois da eleição de Roberta Metsola para a presidência do Parlamento Europeu, assumidamente pró-vida.

Macron disse que também a “proteção do ambiente” deve constar da atualização da Carta.

“Queremos consolidar os nossos valores como europeus, que fazem a nossa unidade, o nosso orgulho e a nossa força. Vinte anos após a proclamação da nossa Carta dos Direitos Fundamentais, que consagrou em particular a abolição da pena de morte em toda a União, gostaria que pudéssemos atualizar esta Carta, em particular para ser mais explícita sobre a proteção do ambiente ou o reconhecimento do direito ao aborto”, disse Emmanuel Macron.


Sondagem | Tem condições para acolher refugiados ucranianos em sua casa?
VOTE AQUI!
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito

2 Comentários

  1. Na Carta dos Direitos Fundamentais da UE está consagrado o direito à vida. Colocar ali como direito fundamental o aborto seria uma contradição.

Escreva um comentário