Distrito SetúbalPalmela

Lixos abordados em reunião pública da Câmara Municipal de Palmela

Em reunião com o executivo da Câmara de Palmela, Álvaro Amaro (CDU) revelou que está preocupado com a deposição de lixo e monos ilegais em redor dos contentores. O presidente afirma que os serviços de recolha de resíduos têm sido aumentados e acredita que única solução é sensibilizar os cidadãos dos seus deveres.

- publicidade -

Há mais de um ano que o município de Palmela implementa medidas com vista a resolução deste problema. A fiscalização constante, a aplicação de coimas a quem deposite resíduos na via pública e o aumento da regularidade dos serviços de recolha não demonstram impedir a acumulação de monos.

O Presidente da Câmara admite que a produção de resíduos nas zonas rurais é a principal responsável para a persistência desta situação e alerta os palmelenses de que “fazer lixo não é um direito (…) O lixo e os monos são serviços pagos por todos nós”.

A lei existente prevê que apenas resíduos até 1m³ possam ser colocados junto aos contentores. Como tal, Álvaro Amaro afirma que, quando excede esse valor, os serviços de recolha não são obrigados a desempenhar essa função. O ideal é que seja feito um agendamento prévio com a Câmara para que a gestão dos resíduos possa ser realizada. Os habitantes das freguesias de Palmela, Pinhal Novo e Quinta do Anjo podem fazê-lo através do contacto telefónico 212 336 624 e 265 988 070 para os moradores na União de Freguesias de Poceirão e Marateca.

A solução prende-se com o desenvolvimento de ações de sensibilização mais claras junto dos habitantes da região, previstas a serem intensificadas perto do dia 5 de junho, Dia Mundial do Ambiente.


Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui