Autárquicas 2021Barreiro 2021Reportagem

LIVRE apresenta no Barreiro primeira candidatura autárquica no distrito  

- publicidade -

O LIVRE, fundado em 2014, concorre pela primeira vez às autárquicas no distrito de Setúbal e a primeira candidatura com apresentação pública decorreu na tarde deste sábado no Parque da Cidade, com Jorge Martinho, candidato à Câmara Municipal do Barreiro, Vasco Teixeira da Silva, candidato à Assembleia Municipal, e Joaquim Silva, candidato à Assembleia de Freguesia do Alto Seixalinho, Santo André e Verderena.

A curta apresentação decorreu no Parque da Cidade, com apoiantes e foram apresentados algumas “das principais bandeiras das candidaturas no concelho”.

Joaquim Silva, candidato à Assembleia de Freguesia do Alto Seixalinho, Santo André e Verderena

A primeira intervenção coube a Joaquim Silva, que se apresenta como candidato independente, e explicou em traços largos os conceitos do LIVRE “um partido de esperanças, no meio do mundo da esquerda, e que defende a inclusão, a importância da ecologia e a solidariedade”.

Sobre a Junta à qual se candidata, “a maior do concelho”, Joaquim Silva considerou como pontos importantes “ter um contacto direto com a população para tomar conhecimento do que se passa, sobretudo nas questões de mobilidade e habitação, e para isso será também importante criar Assembleias de Cidadãos, para nos inteirarmos desses problemas”.

A falta de passeios em algumas zonas “onde as obras parecem ter ficado inacabadas”, e “o estreitamento das ligações entre a autarquia e as colectividades para promoção de actividades culturais e desportivas para os juvenis, juniores e seniores”, são outras propostas de Joaquim Silva.

Vasco Teixeira da Silva, candidato à Assembleia Municipal

Candidato à Assembleia Municipal, Vasco Teixeira da Silva agradeceu a vários elementos “que têm apoiado a nossa candidatura e trabalhado na campanha”, e considerou que “no Barreiro vamos todos ganhar, porque não há nada a perder. É uma candidatura sem histórico e por isso tudo o que recebermos de votos será ganho”.

Destacou depois “a forma diferente que temos de fazer política, de forma transparente, e não apenas por estar na política, mas de forma a torna-la confortável e acessível a todos, acrescentando valor, criticando, mas também propondo soluções, e por isso queremos olhar o futuro, sem estar presos ao passado”.

Vasco Teixeira da Silva apresentou depois “as três principais bandeiras do LIVRE no concelho: a reabilitação da Quinta de Braancamp, como um espaço ambientalmente sustentável e para todos os barreirenses; criar um Plano Municipal de Habitação e condições de acesso para todos a rendas acessíveis, com a criação de uma bolsa de habitação pública; e também uma aposta na mobilidade, com a continuidade do Metro Sul do Tejo até ao Barreiro e a construção da ponte de ligação ao Seixal, com a rede metro, rodoviária, mas também pedonal e ciclável, fazendo esta parte de uma rede intermunicipal.”

Além destas propostas, o LIVRE propõe também “estacionamento gratuito junto das principais estações ferroviárias e da Soflusa, para incentivar o uso dos transportes públicos”, e ainda “o encerramento de algumas ruas, para promover a circulação pedonal e devolver a cidade às pessoas”.

Jorge Martinho, candidato à Câmara Municipal do Barreiro

O cabeça-de-lista do LIVRE, Jorge Martinho agradeceu aos apoiantes, a presença do único meio de comunicação social, o Diário do Distrito, e ainda o convite para o debate promovido pelo jornal, o qual participou na passada quinta-feira.

“O Barreiro perdeu 0,5% da sua população e é preciso voltar a tornar o concelho apetecível para recuperarmos e atrairmos mais pessoas, mas também queremos um Barreiro que seja Livre para trabalhar, viver, estudar, conviver e sonhar.”

Para Jorge Martinho “estas eleições decorrem num momento crucial para Portugal, que recupera da crise pandémica, quando são disponibilizados fundos europeus para amenizar este impacto, e foram colocados ao dispor dos autarcas instrumentos como o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) e o Portugal 2030, o maior pacote financeiro de sempre destinado ao nosso país, e são uma oportunidade única.

Mas obrigam também a autarcas com visão de futuro, uma nova geração de autarcas que saibam canalizar esses fundos para o povo, para que não se falhe novamente num Portugal de Abril sempre adiado.”

- publicidade -

Jorge Martinho referiu ainda a importância da transferência de competências, que está a decorrer, “uma tarefa de enorme responsabilidade para os autarcas mas dá também aos municípios um papel predominante na gestão destes fundos europeus”.

Por fim, o candidato apelou “à necessidade de abraçarmos a intermunicipalidade, porque da união nasce a força”.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo