Covid-19Nacional
Em Destaque

Jovens procuram festas ilegais na região sul do País

Fenómeno está a preocupar as autoridades no Algarve. Autoridades de Saúde também estão atentas e deixam alertas sérios.

- publicidade -

Só na zona de Boliqueime as autoridades registaram um ajuntamento de cerca de 400 jovens que estavam a reunir-se num parque de estacionamento para iniciar uma festa não autorizada pelas autoridades de saúde. Tem sido assim nos últimos dias, onde milhares de jovens rumaram até ao sul de Portugal para aproveitar um verão atípico mas ao mesmo tempo desafiam as leis que estão impostas pelas autoridades de saúde devido à pandemia da Covid-19.

Com os bares e discotecas fechados, estas que só reabrem a partir de outubro, os jovens reunem-se em qualquer estacionamento ou zona isolada na região do Algarve. O Diário do Distrito contactou as autoridades locais que não quiseram prestar para já qualquer informação, alegam que os casos estão identificados e as regiões estão em constante vigilância.

Os ajuntamentos nesses locais depois servem para se reunirem com amigos e muitos desconhecimento também se vão juntando à festa que muitas das vezes são “regadas” com muitas bebidas alcóolicas. A música são sempre emitidas pelos carros que são dos festivaleiros. A GNR na região de Albufeira e Loulé já detetou dois grandes ajuntamentos, mais de 600 jovens que se preparavam para iniciar as festas, mas que acabou por não se realizar com a chegadas dos militares.

As identificações aos jovens são sempre e na sua maioria menores, uma fonte da GNR adianta ao nosso jornal que dá o seguimento normal para o tribunal mas que muitas das vezes acaba por não dar em processo, porque são menores e ali nada há a fazer.

Um jovem que não se quis identificar à nossa equipa de reportagem, explica que muitos dos participantes nem são do Algarve, são jovens que vêm de todo o País e na sua agenda já trazem as festas marcadas, muitas dessas festas são combinadas através das redes sociais e chegam a ter mais de 700 pessoas numa só noite. As noites são todas iguais, jantar, saída em direção ao local combinado e começa por 3 ou 4 jovens e acaba pela noite dentro com centenas no recinto, de garrafa na mão, musica dos carros e sem distanciamento nem máscaras.

O Diário do Distrito tentou ouvir as Direção Geral de Saúde que nos remete para uma resposta mais tarde, sabemos no entanto que as autoridades de saúde estão atentas e preocupadas, pois a variante “Delta” é uma das mais preocupantes a nível de contágio, o aviso é claro e direto, não se pode baixar guarda à pandemia.


Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo