Seixal

Jornal ‘imparcial’ custou 64 mil euros num ano à autarquia do Seixal

- publicidade -

O assunto dos apoios através de ajustes directos por parte da Câmara Municipal do Seixal a um jornal local, denominado ‘Comércio do Seixal e Sesimbra’, foi um dos temas que gerou discussão na reunião camarária desta tarde.

O assunto foi levantado pelo vereador do PSD, Bruno Vasconcelos, que referiu uma publicação “no perfil do senhor presidente numa rede social, onde refere que esteve presente no aniversário do referido jornal, gabando a ‘imparcialidade’ deste. Ora não temos o mesmo conceito sobre ‘imparcialidade’.

Este jornal não passa de um «Boletim Municipal 2», uma segunda via que a CDU usa para propaganda. Em menos de um ano, a Câmara Municipal atribuiu a este jornal, que não é imparcial, uma comparticipação no total de 64 mil euros.”

O vereador relembrou que “o valor que esta Câmara Municipal atribuiu de bolsas de estudo a alunos do concelho foi de 60 mil euros. Já agora, uma proposta que o PSD apresentou em 2009, que foi rejeitada pelo executivo do PCP e que depois apresentaram como vossa.

Sessenta mil euros é um valor ridículo para ajudar os alunos, mas atribuíram 64 mil euros a um jornal que apenas faz eco da voz do executivo da CDU, nem sequer dando qualquer notícia de outro partido político, à semelhança do Boletim Municipal.

Se a CDU estivesse na oposição, e fosse outro partido a atribuir uma comparticipação neste valor a um jornal, seriam os primeiros a reclamar.”

Em resposta, o presidente da edilidade, Paulo Silva, afirmou que “nesse jornal não está a ver qualquer cronista da CDU, mas vê lá um do PS, porque o jornal tem total independência e imparcialidade sobre o que publica, e quem é cronista.

Também não é este jornal nenhum «Boletim Municipal 2», há um órgão de comunicação social que celebrou o aniversário e onde eu estive presente, da mesma forma que num evento da Rádio Seixal esteve presente o vice-presidente.”

Acerca dos valores pagos, Paulo Silva garantiu que “fazemos ali publicidade como fazemos noutros jornais”.

Também sobre o tema interveio Miguel Feio, vereador do PS, frisando que “a CDU financia o jornal, porque a publicidade é uma forma de financiamento”.

O jornal referido na reunião é actualmente editado pela empresa «Segredos Narrativos» que recebeu em ajustes directos, desde Dezembro de 2021, para «Serviço de publicidade institucional no âmbito da estratégia municipal de comunicação, divulgação e informação constante da população relativamente às iniciativas culturais, desportivas e sociais promovidas pelo Município», um total de 64 mil euros, conforme consta no Base.Gov.

Em 2019, o mesmo jornal então editado pela empresa «Cruzada de Letras» auferiu de um valor de 7 mil euros, para o mesmo fim, também em ajustes directos.

Na reunião, que contou com bastante público, o que foi saudado pelos eleitos, no período aberto à população participaram vários munícipes, com temas que foram desde o pedido de uma habitação social até ao questionamento sobre licenciamento de uma obra, bem como um grupo de moradores que se queixou da actividade de uma lavandaria.

Presentes também estiveram elementos das Associações de Reformados e Pensionistas de Amora, Fogueteiro e do Seixal, que se queixaram das dificuldades e da falta de apoios por parte da Segurança Social e do Governo, solicitando auxílio à autarquia.


Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito
Siga-nos no Feedly, carregue em seguir (follow)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *