Parceiros
Opinião

João Rendeiro morreu, será?

Uma crónica de Bruno Fialho.

- publicidade -

João Rendeiro foi um banqueiro português que desviou mais de 28 milhões de euros do BPP, banco do qual era presidente, sendo que, cerca de 13,6 milhões de euros foram directamente para a sua esfera pessoal.

Todavia, ao longo de toda a sua vida, João Rendeiro, garantidamente, conseguiu arrecadar, por meios lícitos ou ilícitos, uma fortuna pessoal muito superior ao valor que desviou do BPP.

Em 2021 foi condenado a 10 anos de prisão pelos crimes de fraude fiscal, abuso de confiança e branqueamento de capitais, que resultaram de um processo extraído do primeiro megaprocesso de falsificação de documentos e falsidade informática, no qual  já tinha sido condenado a cinco anos e oito meses de prisão efetiva.

Para fugir à prisão em Portugal, João Rendeiro fugiu para a África do Sul, tendo sido capturado nesse país, no dia 11 de dezembro de 2021, permanecendo detido duas noites na esquadra de Durban Norte.

A 13 de dezembro, o ex-banqueiro foi transferido para a prisão de Westville, uma das maiores e mais perigosas da África do Sul.

Ontem, dia 12 de maio, tivemos a notícia de que João Rendeiro foi encontrado morto na sua cela, ainda sem qualquer explicação e a aguardarmos (até à data da conclusão deste artigo) pela investigação à sua morte.

Considero que existem várias hipóteses para aquilo que pode ter sucedido ao ex-banqueiro, nomeadamente:

– Suicidou-se!

Simplesmente não acredito nisso. Um ex-banqueiro, rico, habituado aos maiores luxos que alguém pode ter, depois de passar 6 meses numa das prisões mais perigosas do mundo, enfrentando diariamente a violência, a imundice e a solidão,  não iria agora cometer tal acto. Caso tivesse sido encontrado morto ao fim de uns dias de estadia na prisão, sim, acredito que seria possível, mas depois de passar a época do Natal e do Ano Novo, datas que, para quem está preso, são sempre psicologicamente difíceis de ultrapassar, não acredito que João Rendeiro tenha desistido de viver, meses depois de estar preso, principalmente, quando estaria próximo de ser colocado em prisão domiciliária ou até extraditado para Portugal.

– Foi assassinado por colegas de cela.

Para que isso tivesse acontecido, ele teria de ter deixado de pagar a sua própria protecção. Por essa razão, esta hipótese também não apresenta qualquer credibilidade, pois, sendo o ex-banqueiro um especialista em economia e finanças, saberia fazer contas aos milhões que lhe tinha sobrado para fazer face aos pagamentos para a sua protecção na prisão e, mais importante, quem receberia esses valores não ira matar a “galinha dos ovos de ouro”.

– Foi assassinado na prisão.

 Um guarda ou prisioneiro, a soldo de outra pessoa com ainda mais poder e dinheiro do que o ex-banqueiro, assassinou o ex-banqueiro com o intuito de o fazer calar ou como vingança do que eles fez no BPP. Não nos podemos esquecer que João Rendeiro devia saber muito acerca dos podres do nosso sistema financeiro e dos políticos corruptos da nossa praça. Considero que esta hipótese é uma das que tem mais consistência.

- publicidade -

– Encenou a sua própria morte.

Com tantos milhões de euros à sua disposição, o ex-banqueiro pode ter conseguido encenar a sua própria morte, realizado uma cirurgia facial, para não mais ser reconhecido, e adquirido uma identidade falsa. Isto é algo que alguém que tenha dezenas de milhões de euros à sua disposição pode facilmente fazer numa prisão da África do Sul (ou de qualquer outro país), pelo que, neste momento, João Rendeiro, tal qual um passarinho livre, poderá estar a desfrutar uns agradáveis mojitos num qualquer paraíso tropical.

Assim, a pergunta que se deve colocar é: será que o João Rendeiro efectivamente morreu ou, mais uma vez, assim como fez no BPP, conseguiu iludir toda gente?


Sondagem | Tem condições para acolher refugiados ucranianos em sua casa?
VOTE AQUI!
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito

Escreva um comentário