Jesus o Salvador!

Mais um espatafúrdio do quotidiano.

0
138
Tempo de Leitura: 2 minutos

À primeira vista pode não parecer mas a história de Jesus, filho de Deus, e Jesus, treinador do Flamengo, é demasiado idêntica. Basta parar um pouco para pensar (coisa que o mister é exímio, já no que toca à fala… Prontes!) para chegarmos rapidamente a essa conclusão.

Mas nós, Estapafúrdios do Quotidiano, vamos clarificar as semelhanças para que o leitor não tenha de se aborrecer com pormenores. Ao fim ao cabo é segunda-feira, passou o fim-de-semana todo a estudar o que vai comprar na Black Friday e por isso a sua paciência deve estar a dar últimas.

Jesus, o da Bíblia, quando surgiu deu nas vistas por espalhar a fé pelos seus irmãos praticando milagres incríveis, que ninguém acreditava ser possível até verem com os seus próprios olhos. E assim foi, palavra puxa palavra e, num ápice, toda a gente já tinha ouvido falar do Deus Menino, o Profeta, e de todos os seus milagres.

Ora, J.J. fez exactamente o mesmo. Ingressou no Sport Lisboa e Benfica e logo na primeira época conseguiu espalhar a sua fé pelos adeptos do clube. Foi campeão e colocou a equipa a jogar um futebol de ataque mortífero. Todos os entendidos do futebol ficaram rendidos à sua capacidade de fazer autênticos milagres no comando técnico do maior clube português que, até à sua chegada, andava nas ruas da amargura. Jesus, o Mister, implantou a sua fé e intitulou-se “o master da tácnica”, o “supra sumo do futaboli” e mais dois ou três títulos que o corrector ortográfico insiste em não nos deixar escrever.

Agora analisemos os “parmenores” (como diria o Mister). Jesus, na tão historicamente conhecida “Última Ceia”, disse que iria ser traído por um dos presentes daquela mesa. Claro que à partida todos pensaram que seria por causa da quantidade industrial de vinho que circulava naquela mesa. Até porque toda a gente sabe que, onde existe álcool existe confusão, mas a verdade é que Jesus tinha razão. Ele foi traído, preso, crucificado e ainda morto. (Não bastava ter levado uns beijinhos do Judas, ainda acabou por ser morto. Realmente naquela altura não brincavam com a história da homossexualidade.)

Ora, curiosamente J. J. teve o mesmo desígnio. Após praticar vários milagres no Benfica, acabou por sair e ir para o Sporting Clube de Portugal. Tentou implementar a sua fé nos adeptos do clube, mas as coisas já não correram da forma pretendida. Um dia, sentado à mesa do refeitório da Academia de Alcochete, J. J. disse para um dos presentes: “Amigues, eu têra a sensação que um de vocêsses, me irá tráire!”. Ninguém prestou atenção àquelas palavras, até porque metade não percebeu, e foi cada um à sua vida.

Mas a verdade é que J. J. tinha razão. Mais tarde, um grupo de encapuçados invadiu a Academia e desatou a bater nos jogadores e até no próprio J. J. — o que o deixou bastante desagradado porque ficara despenteado no meio da confusão. Perdeu a final da Taça de Portugal e acabou por ser perseguido e crucificado. E só não morreu na cruz porque fugiu para o Brasil. (E como toda a gente sabe, quando foges para o Brasil, ninguém te encontra. Só a TVI…)

A segunda semelhança entre os dois Jesus, é a seguinte:

Jesus, depois de perseguido, crucificado e morto acabou por regressar — regresso esse intitulado como “A Ressurreição de Jesus”. Ressuscitou dos mortos e apareceu a muitas pessoas durante um período de 40 dias, ascendendo depois ao céu para se sentar ao lado do seu pai, Deus, o todo poderoso.

J.J. fez exactamente o mesmo. Ressuscitou no colosso brasileiro Flamengo. Mas, claro, J. J. tinha de ser um pouco mais pomposo e decidiu não aparecer apenas a algumas pessoas, mas sim ao mundo inteiro. O que é que o Mister fez? Ganhou a Copa Libertadores, a Copa do Brasil e a copa de todas as brasileiras que quiser.

Portanto, se Jesus é o Salvador porque se sacrificou pelos Homens.  J. J. é duplamente o Salvador. J. J. sacrificou-se pelos homens e pelas  mulheres! Não ganhasse ele estes troféus e ia haver muita pancadaria da boa por este Brasil fora. Mas, enfim…

“É o que temos”, e o que têramos sêra um português da Amadora e sêra muita bom, pá!

Visite a nossa página de Facebook em:
https://www.facebook.com/EstapafurdiosDoQuotidiano
Texto escrito por Gil Oliveira e Ricardo Espada

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome